Manuseio correto de botijões de gás: cuidados para seguir

Escrito por Aline Carrasco

Foto: iStock

No dia a dia da rotina doméstica, principalmente na hora de preparar aquelas saborosas refeições, os botijões de gás podem passar despercebidos. Afinal, seja sincera… Só reparamos neles quando acabam o gás, certo?

No entanto, é essencial estar atento ao manuseio. Um detalhe que, apesar de parecer muito simples, se utilizado de maneira inadequada pode provocar grandes acidentes. Isso porque esses vasos de pressão, construídos para acondicionar e transportar gases, possuem uma grande pressão e, a qualquer impacto ou descuido, o perigo pode ser enorme.

Portanto, atente-se ao primeiro sinal de vazamento que vem por meio do cheiro do gás, que é característico e inconfundível. Para saber todos os detalhes do assunto e entender a maneira correta de agir nesses casos, o gerente nacional comercial empresarial da Copagaz, Vicente Longatti, nos explica com detalhes. “Para verificar se há algum sinal de vazamento, o consumidor deve fazer o teste da espuma de sabão. Com uma esponja, água e sabão, faça espuma em abundância e verifique se existem borbulhas nas conexões (bolhas de sabão). Caso isso ocorra, o vazamento está confirmado”, esclarece Vicente. Então, siga as dicas do especialista e mantenha a segurança de sua casa e de sua família!

1. O primeiro passo: compra certa

Foto: iStock

Na hora da compra, evite comprar botijões de locais informais ou clandestinos. Desconfie, por exemplo, de locais em que o valor está muito abaixo do mercado. “O mais indicado é que a compra seja feita por meio de revendas autorizadas. Ao receber os botijões, o consumidor deve verificar seu estado de conservação e data de validade. Por norma, todo botijão traz em sua parte superior e em alto relevo o mês e o ano de sua fabricação, e no selo de conformidade (após a primeira requalificação), a data da validade”, explica Vicente.

2. De olho no prazo e na conservação

Foto: iStock

Como qualquer produto, os botijões possuem o prazo de validade. São 15 anos a partir do momento que sai de fábrica e de 10 anos depois que passa pela primeira requalificação. Então, fique de olho nas datas! Verifique também o estado de conservação, bem como o lacre conservado e a etiqueta de identificação da distribuidora. Caso receba um produto sem estas características, recuse o recebimento, devolva e, se possível, peça a entrega de outro que esteja dentro das conformidades.

3. Em caso de suspeita de vazamento: o que fazer?

Foto: iStock

Caso você identifique o vazamento, feche a válvula, desconecte o botijão com cuidado e leve-o para a área externa de sua residência. Você ainda deve ventilar o ambiente, abrindo portas e janelas. E claro, dependendo da gravidade do problema, acione imediatamente o Corpo de Bombeiros (disque 193).

4. Em caso de suspeita de vazamento: o que não fazer?

Foto: iStock

Entre as recomendações, caso suspeite do vazamento, está a proibição de acender fósforos ou isqueiros. Também não acenda as luzes. “Não acione interruptores de luz, pois dependendo da concentração de produto no ambiente, uma simples fagulha é o suficiente para promover o início de um grave acidente”, explica Longatti.

5. Instalação correta dos botijões

Foto: iStock

Longatti explica que no momento da instalação do botijão de gás, é recomendável que tudo seja feito de maneira manual. “Nunca utilize nenhuma ferramenta para a instalação do regulador ao botijão, eles foram projetados para que ela seja realizada de forma manual”, comenta. Isso porque o sistema é projetado e desenvolvido para que, manualmente, atinja a vedação perfeita.

6. Local ideal dos botijões de gás

Foto: iStock

Segundo o especialista, não há um local inapropriado para a instalação do botijão, mas o ideal é que ele seja armazenado em um ambiente mais arejado. Se possível, até mesmo do lado de fora da residência. Evite mantê-lo em locais totalmente fechados ou armazenar produtos inflamáveis junto ao botijão. “Evite passar a mangueira por traz do forno e, caso isso não seja possível, a mangueira de PVC deixa de ser recomendada, necessitando para tanto uma mangueira metálica que seja resistente ao calor”, orienta.

7. Distância mínima do perigo

Foto: iStock

Além dos locais mais arejados, outra recomendação importante fornecida pelo especialista é o armazenamento distante das chamadas ‘zonas de perigo’. “Coloque o produto a uma distância mínima de 1,50m de tomadas, interruptores, instalações elétricas, ralos ou grelhas de escoamento de água”, orienta.

8. Práticas não recomendadas

Foto: iStock

Se você já ouviu falar que utilizar o botijão na horizontal é melhor para aproveitar o gás até o final, esqueça já isso! Longatti explica que o botijão foi desenvolvido para ser consumido na posição vertical em sua totalidade. O botijão possui um gás liquefeito, em que vai vaporizando conforme seu uso. Ao utilizar o botijão deitado, o gás ainda em sua fase líquida pode sair pela mangueira e elevar sua pressão. Portanto, esqueça essa história!

9. Manuseio inadequado

Foto: iStock

Tome bastante cuidado ao movimentar o botijão de gás. No dia a dia, ao arrastá-lo para realizar a limpeza da casa, você pode acabar “afrouxando” as conexões. Com o tempo, esta pode ser a causa de vazamentos e até mesmo acidentes. O ideal, portanto, é deixar o botijão sempre em um mesmo local. Se for necessário removê-lo de lugar, utilize as bases com rodinhas, específicas para esse fim. Esteja em alerta!

10. Está na hora de trocar?

Foto: iStock

Na hora da troca, verifique com atenção se todas as bocas do fogão estão desligadas e jamais vire o botijão. Faça a troca sempre de forma manual, sem a ajuda de ferramentas. Basta retirar o lacre de segurança do botijão, levantando a própria aba do anel externo e girando-a no sentido anti-horário.

“O regulador e o registro foram fabricados para que a dona de casa tenha plena condição de fazer a troca sem esforço físico. Em caso de dúvida, ou se não se sentir confortável e seguro para fazer a instalação sozinha, peça ao revendedor que fez a entrega do botijão ou a algum vizinho que saiba instalar para que faça este serviço para você”, explica Vicente.

Conheça o botijão

Com todas essas informações e o “mapa” com a explicação de cada item do botijão, não há desculpa para deixar sua casa em perigo, não é mesmo?

Siga as dicas com atenção e garanta que tudo esteja em perfeita ordem para a segurança de sua casa e de sua família. Caso ainda tenha dificuldades com o manuseio, peça sempre pelo auxílio de profissionais, e esteja sempre alerta com os produtos. Pronto! Uma casa segura e perfeita!

PARA VOCÊ

COMENTÁRIOS