10 coisas que você deve eliminar do seu guarda-roupa imediatamente

Escrito por Sheila Almendros

Imagem: iStock

Você é aquela pessoa que abre a porta de seu guarda-roupas e tem a sensação de estar perdida, sem saber onde está o que realmente precisa? Demora muito tempo para escolher um look, pois parece que nunca tem roupa apropriada para vestir? Talvez o que seu closet esteja precisando é de receber uma bela ‘limpa’, além de uma organização mais prática para que tudo o que você mais precisa esteja à mão.

E se você pensa que para isso é necessário contratar algum especialista no assunto, está redondamente enganada. Basta tirar um dia para se dedicar à esta atividade e analisar com carinho os itens pontuados abaixo, que listamos a seguir com a ajuda da Consultora de Moda e Estilo Gaby Beraldo:

1. Itens que não são usados há mais de seis meses

Imagem: iStock

Para Gaby, peças que não são mais usadas por um certo período, e que muitas vezes você nem se lembra mais da existência, devem ser tiradas do guarda-roupas. Que tal doar para quem precisa ou fazer um dinheirinho extra vendendo-as para um brechó ou em grupos/sites de desapego? Você não só vai tirar o acúmulo excessivo do closet, como também poderá abrir espaço para incluir novas (e úteis) opções.

2. Peças que não servem mais

Imagem: iStock

Quem ganhou ou perdeu peso sabe a dor que é perder uma roupa, principalmente se ela é uma de suas preferidas. Mas guardá-las para se tornar uma meta de emagrecimento, ou que você jura que algum dia procurará uma costureira para ajustá-la não é uma das melhores ideias. Muitas vezes, quando você alcançar o seu objetivo, ela nem será mais tão importante assim para você, acredite!

3. Peças velhas ou danificadas, que não tenham mais conserto

Imagem: iStock

Sabe aquela blusa amarelada, aquela calça furada ou desgastada e aquele colar faltando pedra? O melhor que você tem a fazer com essas peças é desapegar sem pensar duas vezes: “às vezes sai mais caro consertar do que substituir a peça por uma nova”, garante a consultora.

4. Roupas que você não usa por se sentir incomodada

Imagem: iStock

Muitas vezes evitamos usar algumas peças por pinicarem a pele, por machucarem o pé, ou porque passamos o tempo todo preocupadas se está mostrando algo além da conta. Já que é para evitá-las, porque tê-las?

Aliás, isso é uma coisa que deve ser levada em conta até mesmo na hora de comprar: quanto mais confortável for a sua aquisição, melhor! O que nos leva ao próximo tópico…

5. Roupas e acessórios comprados por impulso e que não condiz com sua rotina ou estilo

Imagem: iStock

Roupas e calçados que caem no desuso muitas vezes é o resultado de uma compra feita por impulso. Nem sempre é vantajoso ir ao shopping em um dia de fúria ou de muita felicidade, ou naquela semana em que a sua loja preferida entra em liquidação.

A peça estava baratinha, ok. Mas… Você precisa dela? Combina com o seu estilo de vida ou com a sua rotina? Todas as alternativas estão corretas?

Caso uma das respostas tenha sido ‘não’, o melhor é deixar a peça lá na arara ou na gôndola, para outra pessoa adquirir. Mas se o erro já foi cometido, dê um jeito nisso repetindo a sugestão do item um.

6. Caixas ou sacolas de papel ou papelão

Imagem: iStock

O melhor jeito de evitar baratas e traças dentro do guarda-roupas, os piores inimigos do closet, é evitar o acúmulo de embalagens, sacolas e caixas de papelão. “O ideal é proteger as suas roupas mais delicadas, calçados e acessórios da umidade e poeira com mais precisão, armazenando-as em sacos de TNT ou cestos de plásticos ou palha”, sugere Gaby.

7. Roupas e acessórios guardados somente por apego emocional

Imagem: iStock

Aquele item pendurado no cabide por tanto tempo somente porque alguém muito especial lhe presenteou pode estar guardado no lugar errado, não acha? Caso o valor sentimental seja muito grande, a ponto de não querer se desfazer do produto que não está sendo usado, é melhor incluí-lo em uma caixa de recordações, e abrir espaço para o que você usa com mais frequência.

8. Presentes que ganhou e não gostou

Imagem: iStock

Perdeu o prazo de troca do presente que não lhe agradou ou não serviu? Passe para frente!

Por mais que possa partir o seu coração se desfazer de algo que alguém te deu com tanto carinho, o melhor a ser feito é oferecê-lo para alguém que goste mais ou que precise. Além de evitar acúmulos, você pode deixar outra pessoa bem feliz.

9. Itens duplicados

Imagem: iStock

Ter duas blusas da mesma cor, vestidos parecidíssimos, vários sapatos iguais é muito mais uma forma de criar volume no guarda-roupas do que ter mais opções para vestir. Qual é a vantagem de ter peças “clonadas”? Fique com a que mais te agrada e livre-se do restante da melhor maneira possível.

10. Aquela meia sem par ou sutiã sem alça

Imagem: iStock

Já que você não usará a meia solitária com outra de modelo diferente, porque deixá-la na gaveta? Quando for fazer aquela boa limpeza na cômoda, aproveite para tirar essas fatídicas peças sem par, sutiãs danificados ou faltando uma alça, e calcinhas largas, que já perderam o elástico. Essa ação vai te incentivar a uma necessária renovação nas roupas íntimas!

Viu como não é tão difícil colocar ordem no closet e deixar tudo mais prático, sem acúmulos? Aliás, uma última dica da Gaby – e importantíssima -, não só para organizar o guarda-roupas, mas também para garantir a durabilidade das peças: “Esporadicamente, coloque seus artigos de couro ou de tecido mais grosso, como lã ou cashmere, para tomar um ar. E durante a temporada mais quente, quando quase nunca essas peças serão usadas, guarde-as em embalagens apropriadas, em uma parte do armário menos usado”.

Anotado? Então, que tal aproveitar o clima de renovação que sempre aparece no final do ano e fazer um super desapega no guarda-roupa? Arregace as mangas e mãos à obra!

PARA VOCÊ

COMENTÁRIOS