Compostagem: aprenda como fazer em casa e descubra seus benefícios

Escrito por Andressa Oliveira

iStock

A compostagem é uma forma bastante simples e útil de reduzir a quantidade de lixo orgânico produzido. É um sistema sustentável, fácil e quase sem nenhum gasto para reaproveitar restos de alimentos, cascas e outros resíduos domésticos produzidos no dia a dia. Além de reduzir o volume de lixo, essa solução também oferece uma produção de adubo para fortalecer as plantas.



Para quem está pensando em adotar a técnica, preparamos um guia especial para você aprender melhor sobre a compostagem com dicas sobre como fazer, os tipos existentes e os materiais que podem ser utilizados. Confira:

O que é compostagem?

No vídeo você aprende tudo sobre o sistema da compostagem e descobre mais sobre esse processo biológico que é formado por terra, minhocas e micro-organismos. Eles consomem os restos de alimentos, como cascas de frutas e vegetais e transformam a matéria orgânica em um composto rico em nutrientes, que pode ser utilizado como adubo para as plantas.

O processo da compostagem, quando feito de forma correta, não produz cheiro e nem atrai animais indesejados. É uma boa opção para deixar sua casa mais ecológica, repensar sua relação com a comida e reduzir a quantidade de lixo produzida pela sua família.

Para que serve a compostagem?

iStock

A compostagem é um processo que tem a função de reduzir o volume de lixo orgânico através de sua decomposição para a obtenção de um material fértil, rico em húmus e nutrientes.

Conforme dados do Ministério do Meio Ambiente, os resíduos orgânicos representam cerca de 50% da quantidade total de lixo urbano produzido no Brasil e a compostagem é uma boa forma de reciclar e evitar toneladas de lixo diário.

Além disso, esse processo contribui para a preservação do meio ambiente e redução do aquecimento global. Quando o material orgânico entra em decomposição, nos lixões ou aterros sanitários, é gerado o gás metano. Esse gás é um dos principais causadores do efeito estufa e também pode contaminar o solo e lençóis freáticos.

Outro benefício da compostagem é a produção de um excelente adubo para o uso em plantas, flores, hortas e jardins. Ainda segundo pesquisas do Ministério do Meio Ambiente, a compostagem têm tido grande êxito em ações de educação ambiental associadas com jardinagem, recuperação de espaços públicos e agricultura urbana.



Como fazer compostagem

A compostagem é um processo que pode ser realizado sem grandes exigências de equipamentos ou investimentos. No vídeo, você confere como o sistema funciona e aprende como realizar a compostagem corretamente. A decomposição ocorre em etapas, com caixas empilhadas. E sempre que colocar restos de alimentos, você deve cobrir com matéria vegetal seca, como folhas secas ou serragem.

Tipos de compostagem

Existem diferentes formas de realizar a compostagem. Para quem tem dúvidas para iniciar o processo, conheça alguns tipos e suas principais características:

Compostagem com minhocas (ou vermicompostagem)

Nesse tipo, a decomposição de restos de alimentos e outros resíduos orgânicos ocorre com a ajuda de minhocas. O processo é feito em local fechado e coberto, como caixas de plástico.

O sistema pode ter diferentes tamanhos e ser instalado facilmente em casas ou apartamentos. O adubo gerado é conhecido como húmus de minhoca e demora cerca de 60 dias para ficar pronto. Você pode adquirir um kit ou fazer seu próprio sistema com baldes ou garrafas PET. Apesar de prático, esse método necessita sempre da reposição de folhas secas ou serragem e possui restrições a alguns alimentos que não devem ser utilizados.

Compostagem automática

Esse tipo é feito por uma máquina automática que possui em seu interior micro-organismos que processam os restos de alimentos e os transformam em adubo em apenas 24 horas.

Seu funcionamento traz mais facilidade e rapidez no processo, além disso, não há a necessidade da reposição com serragem. Outra vantagem é a possibilidade de processar praticamente todos os resíduos orgânicos. Entretanto, possui um custo mais elevado que a vermicompostagem e necessita de energia elétrica para funcionar.

Para escolher o modelo correto, é importante levar em consideração o ambiente em que será instalado e o volume de resíduos que será decomposto. De qualquer forma, o processo contribuirá com diversos benefícios para você, sua família e o meio ambiente.



O que pode ir na composteira?

iStock

Nem todos os alimentos e resíduos orgânicos podem ser utilizados. Alguns tipos podem prejudicar os micro-organismos ou minhocas e comprometer o processo de decomposição e produção do adubo. Confira o que você pode ou não utilizar à vontade:

Materiais que podem ser usados à vontade

  • Frutas
  • Legumes
  • Verduras
  • Grãos e Sementes
  • Borra e filtro de café
  • Cascas de ovos
  • Sachês de chá e erva de chimarrão
  • Folhas secas

Materiais que podem ser usados com moderação

  • Flores e ervas aromáticas
  • Guardanapos e papel toalha
  • Queijo
  • Alimentos cozidos
  • Frutas cítricas

Materiais que não devem ser utilizados

  • Carnes
  • Óleos e gorduras
  • Fezes de animais domésticos
  • Papéis (higiênicos, jornais e papelões)
  • Pão e massas
  • Arroz
  • Líquidos (leite, caldos, feijão, iogurte)
  • Temperos fortes (alho, pimenta, cebola)
  • Limão

Fazer compostagem é uma excelente colaboração para o meio ambiente ao evitar o desperdício, produzir menos lixo e gerar um ótimo adubo para a jardinagem. Um sistema de funcionamento simples e que pode ser feito também em condomínios, escolas ou restaurantes. Com certeza, uma boa prática que você pode adotar na sua casa e impactar o meio ambiente de forma muito positiva.