14 maneiras espertas para guardar e conservar os alimentos na cozinha

Escrito por Ana Kordelos
Foto: iStock

Foto: iStock

Após a ida às compras no supermercado, é comum haver confusão em descobrir qual a forma correta de armazenar os alimentos recém adquiridos. Saber como guardá-los é de extrema importância para manter as características originais do produto (como vitaminas e outros nutrientes) e também para prolongar a vida útil deles.

Além disso, entender quais as formas ideais de armazenar os diferentes tipos de alimentos é uma boa forma de economizar no orçamento familiar, sendo que, desta forma, não haverá desperdícios provindos da má conservação e a necessidade de adquirir novos produtos antes do previsto.

Segundo Nani Rangel, gastrônoma funcional, quando os alimentos são armazenados de maneira adequada proporcionam maior durabilidade e seus valores nutricionais são preservados. “Temos que ficar atentos sempre a maneira correta do armazenamento de cada alimento, pois existem formas diferentes, de acordo com o produto”, informa.

Como guardar corretamente os alimentos na cozinha

Buscando esclarecer possíveis dúvidas mais frequentes sobre a manipulação e conservação correta de alguns alimentos, confira abaixo a explicação da profissional com o modo correto de armazená-los na cozinha:

1. Divida as carnes compradas no mercado em pequenas porções

Foto: iStock

Foto: iStock

“Quando comprar carnes porcionadas no mercado, a melhor forma de conservar é colocar uma etiqueta com a data da compra e anotar o corte da carne, levá-la ao congelador e preservar até o dia de seu consumo”, informa Nani. Ela ainda alerta que esta deve ser descongelada no dia anterior ao seu consumo dentro da geladeira e nunca fora da geladeira ou no sol, evitando assim a proliferação de micro-organismos.

Outra dica importante é que carnes descongeladas não devem ser congeladas novamente. Sendo assim, o mais recomendado é separá-las em porções menores conforme a necessidade de cada refeição.

2. Armazene batatas em ambiente escuros

Foto: iStock

Foto: iStock

Para as batatas, o ideal é que elas sejam armazenadas fora da geladeira e em ambientes escuros. Se estas foram conservadas dentro do refrigerador, as baixas temperaturas irão resultar em uma transformação mais rápida do amido em açúcar, deixando-as com sabor mais adocicado.

A gastrônoma ainda revela que sua exposição ao sol pode causar esverdeamento do alimento, devido a formação de solanina a qual deixa um gosto amargo e pode causar diarreia, cólicas e vômito.

Nani ainda dá as seguintes dicas na hora da escolha deste alimento na feira ou supermercado: as batatas devem ser firmes, de casca suave, sem manchas, brotos e rachaduras; não compre batatas em sacos, pois não é possível examinar a qualidade da maioria das batatas e evite comprar batatas já higienizadas. “Como foram lavadas, sua proteção pode ter sido afetada fazendo com que elas tenham maior propensão a bactérias”, ensina.

3. Envolva os cabos de bananas em plásticos

Foto: Reprodução / A Touch of Cass

Foto: Reprodução / A Touch of Cass

“Para que as bananas durem mais tempo, o segredo é não separá-las. Mantê-las no cacho ajuda a retardar o processo de apodrecimento”, orienta a gastrônoma. Existe ainda a possibilidade de envolver o cabinho da banana com um plástico filme, prática que ajuda em seu amadurecimento e maior durabilidade. Evite deixá-las na geladeira. “Se colocar a banana na geladeira, ela fica escura mais rápido”.

4. Guarde as cebolas em ambiente aberto e sem umidade

Foto: iStock

Foto: iStock

O ideal para este alimento é a conservação em um ambiente seco, fresco, bem ventilado e sem contato com umidade. Se armazenadas na geladeira, estas podem ser objeto favorável para proliferação de fungos, causar mal cheiro aos outros alimentos dispostos no mesmo local, além de estragar mais rapidamente do que o previsto, durando apenas poucos dias. Segundo Nani, se armazenada da maneira correta, uma cebola pode chegar a durar até um mês mantendo suas propriedades originais.

5. Os ovos devem ficar na parte interna da geladeira

Foto: iStock

Foto: iStock

A profissional recomenda manter os ovos dentro da embalagem original e lavá-los apenas no momento de prepará-los para consumo. Isto irá evitar que o ovo perca sua película original de proteção contra rachaduras. Para armazená-lo, o mais indicado é posicioná-lo na parte mais interna e refrigerada da geladeira, “nas prateleiras, mais ao fundo, e nunca deixando o alimento na porta”, adiciona.

6. Deixe os tomates fora da geladeira

Foto: iStock

Foto: iStock

“Lembre-se que o tomate é um fruto, por isso deve ser guardado na fruteira”, frisa Nani. Se este for colocado na geladeira, perderá rapidamente seu sabor, além de estragar mais rapidamente.

7. Alho: fora da geladeira e em local arejado

Foto: iStock

Foto: iStock

Assim como a cebola, o alho necessita de ambiente com ventilação. A gastrônoma ainda revela que “a geladeira acaba tirando um pouco do seu sabor, podendo causar mofo e resultar em uma textura mais macia e elástica”. Se ainda estiver com casca, o alho deve ser guardado solto, em local ventilado, podendo inclusive durar até dois meses. “Se este já estiver picado, pode ir para a geladeira, mas deve ser consumido assim que possível”, alerta.

8. Congele cebolinha verde e salsinha em garrafas ou potes de plástico

Foto: Reprodução / Cozinha da Dita

Foto: Reprodução / Cozinha da Dita

Para evitar que a cebolinha verde e salsinha estrague ou murche rapidamente, a profissional indica higienizá-las e secá-las com papel toalha. “Depois, para melhor conservação e durabilidade destas hortaliças, é recomendável armazenar em garrafas pet ou ainda em potes plásticos”. No congelador, elas chegam a durar até três semanas.

9. Ervas em maço: longe da geladeira

Foto: iStock

Foto: iStock

Para manter as ervas frescas e evitar que elas fiquem com a aparência de “queimadas”, o ideal é mantê-las longe da geladeira, “já que as baixas temperaturas do refrigerador acabam danificando as folhas, fazendo com que o alimento se perda mais facilmente. Uma boa dica é lavá-las e armazená-las em um pote de vidro com tampa. Deste modo, permanecerão frescas por mais tempo.

10. Guardar o limão na geladeira deixa-o suculento por mais tempo

Foto: iStock

Foto: iStock

A profissional explica que se o intuito for utilizar o suco, o limão deve ficar um tempo fora da geladeira, em temperatura ambiente. Esta orientação também é válida se este ainda estiver verde. Se já maduro, deve ser guardado na geladeira, com um saco plástico para ficar suculento por mais tempo. Se o limão já estiver cortado, pode ser armazenado na geladeira, porém deve ser em recipiente fechado, sendo consumido em um curto espaço de tempo, pois oxida rapidamente.

11. Não amontoe frutas delicadas

Foto: iStock

Foto: iStock

“Tome muito cuidado ao amontoar as frutas na fruteira, pois uma fruta perto da outra faz com que o amadurecimento de ambas ocorra mais rápido”, orienta Nani. Se amontoadas, frutas delicadas podem ser danificadas, perdendo suas propriedades, além de amadurecerem mais rápido, fazendo com que ocorra a perda do alimento.

12. Laticínios: sempre na prateleira mais alta da geladeira

Foto: iStock

Foto: iStock

A gastrônoma comenta que a prateleira mais alta da geladeira é considerada o local onde as temperaturas mais baixas permanecem. Como os laticínios necessitam de maior refrigeração, este é o local mais indicado para seu armazenamento.

13. Guarde a alface na geladeira, com um papel toalha por cima do pote

Foto: Reprodução / Casa, Coisas e Sabores

Foto: Reprodução / Casa, Coisas e Sabores

“Após higienizar e secar as alfaces, guarde-as em potes na geladeira, utilizando papel toalha para intercalar entre suas folhas”, ensina a profissional. Esta medida fará com que a alface dure cerca de sete dias, já higienizada e pronta para consumo, facilitando seu dia a dia.

14. Saiba quais alimentos devem ser armazenados refrigerados e quais devem ser mantidos em temperatura ambiente

Foto: iStock

Foto: iStock

A gastrônoma ainda indica que os seguintes alimentos sejam conservados em temperatura ambiente: abacate, damasco, banana, cítricos, alho, kiwi, melão, nectarina, cebola, pera, pêssego, ameixa, abacaxi, batata. Já para alimentos como maçãs, feijão, baga, brócolis, repolho, cenoura, couve-flor, aipo, cereja, milho, pepino, berinjela, gengibre, pimenta-jalapenho, folhas verdes, cogumelo, abobrinha, o mais indicado é mantê-los refrigerados, prolongando sua vida útil.

Utilizando-se destas dicas, é possível aproveitar os mais variados nutrientes e benefícios provindos destes alimentos com consumo no nosso dia a dia. Assim, além de ter alimentos frescos e saudáveis sempre ao alcance, também será possível evitar o desperdício indevido e economizar no final do mês.

PARA VOCÊ

COMENTÁRIOS