Tipos de vidro: conheça os modelos, características, finalidade e preço

Escrito por Aline Costa

Foto: Reprodução / Gold Esquadria

Versátil, o vidro pode oferecer muitos benefícios aos projetos arquitetônicos. Entres eles, estão a integração de ambientes, conforto térmico e acústico, iluminação natural, segurança e privacidade. Tudo vai depender do tipo de material, mas como escolher bem?

“O principal cuidado é verificar o tipo de vidro correto para cada aplicação. Com isso, será possível garantir segurança na utilização do produto”, explica o gerente-técnico da Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos (Abravidro), Silvio Ricardo Bueno de Carvalho.

O consultor de esquadrias e vidros Gilmar Nunes da Costa ainda destaca que a qualidade do vidro nacional é superior a do importado. “O material que vem de fora tem a chapa curvada, por isso, na hora do corte, ele fica com uma espécie de barriga”, alerta.

Carvalho detalha que a norma técnica “ABNT NBR 7199 – Vidros na construção civil – Projeto, execução e aplicações” é a referência para aplicações dos vidros na construção civil. “Por isso, ao adquirir um produto, é importante verificar se a empresa tem conhecimento da norma”,  avisa.

Ele cita como exemplo os guarda-corpos, que devem ser feitos com os vidros laminados, ou aramados ou insulados – assim como as portas, divisórias e vitrines instaladas abaixo da cota de 1,10 m em relação ao piso. A arquiteta Pamela Ortiz, por sua vez, explica que “o uso de vidros serigrafados, coloridos e impressos promove diminuição da entrada de calor nos ambientes, economizando energia no controle térmico das edificações, além de personalizar e colorir os ambientes”.

Tipos de vidros

Imagem: Tua Casa

Aqui você consegue visualizar facilmente as principais vantagens e dicas de aplicação de vários tipos de vidro. Este comparativo foi preparado, inclusive, com dicas dos nossos entrevistados.

Acidado

Foto: Reprodução / Projeta

O tratamento com ácido deixa o vidro esbranquiçado e diversifica as possibilidades estéticas para seu uso. Aqui, a divisória ficou extremamente elegante e moderna.

Antirreflexo

Foto: Reprodução / Quadro a quadro arte e moldura

Este tipo é até cinco vezes menos reflexivo que um vidro convencional, assim, é muito utilizado para quadros e em cristaleiras, por exemplo, além de outras situações em que o reflexo pode ser um incômodo.

Antirriscos

Foto: Reprodução / Zilda e Anamaria Arquitetura

Além de lindo e elegante, ele garante que o aspecto de novo se conserve por muito mais tempo. Tampos de mesas e também de bancadas de trabalho, por exemplo, pedem por este tipo de material.

Antivandalismo

Imagem: iStock

Veja que mesmo sob impacto bastante violento, ele se mantém inteiro, apesar de danificado. Isso impede possíveis invasões e faz com que haja mais tempo para acionar a polícia, por exemplo.

Autolimpante

Imagem: iStock

Perfeito para aplicações nas quais a limpeza é mais complicada, afinal, ele reduz bastante a necessidade de lavagem.

Craquelado

Foto: Reprodução / Só escadas

Na escada, este efeito dá um toque divertido e inusitado, uma vez que podemos ter mesmo a impressão de que sempre vamos quebrar o vidro ao pisar nele.

Colorido

Foto: Reprodução / Adriano Gronard

O vidro pintado tem acabamento de alto brilho e pode dar um toque de alegria e vivacidade ao ambiente onde ele é aplicado, como ocorre no exemplo acima.

Duplo

Foto: Reprodução / Canalli Arquitetura

Como o nome sugere, trata-se de dois vidros, mas separados por uma camada de gás ou ar. Esse “sanduíche” é capaz de reduzira passagem de som e calor.

Float

Foto: Reprodução / Cristal Vidros

O efeito deste material é de um requinte e sutileza ímpar, tamanha a visibilidade que ele proporciona por causa de sua espessura uniforme e massa homogênea.

Impresso

Foto: Reprodução / Delphos Soluções

Neste tipo de vidro, o desenho é impresso assim que ele está saindo do forno. Em boas mãos, pode oferecer ótimos resultados, como nesse elegante banheiro.

Jateado

Em um interessante processo no qual ele é “danificado” por jatos de grãos de areia, o vidro se torna translúcido e um pouco áspero. Aqui, confere sobriedade ao ambiente.

Laminado

Foto: Reprodução / Padua Vidraçaria

Tem uma lâmina plástica que mantem os cacos unidos em caso de quebra do vidro. No exemplo, uma aplicação perfeita: mesmo em caso de quebra, o lugar permanecerá fechado.

Opacado eletronicamente

Foto: Reprodução / Total Vidros

Em condições normais, ele é opaco. Contudo, basta apertar um botão para que ele se transforme em um material transparente.

Refletivo

Foto: Reprodução / Baldassari Vidros

Por não reter muito calor, é ideal para projetos sustentáveis. Contudo, funciona bem, inclusive, por causa do apelo estético. No banheiro acima, faz o ambiente parecer maior e garante a privacidade.

Serigrafado

Foto: Reprodução / Priscilla Matos arquitetura

Mesmo sendo transparente, o que garante um ótimo aproveitamento de luz, o trabalho deste vidro garante certo grau de privacidade: é ideal para quando você precisa do melhor dos dois mundos, como no caso acima.

Temperado

Foto: Reprodução / RTT Esquadrias de Alumínio

Mais resistente à quebra, aqui é usado de forma muito pertinente para dar um acabamento mais sofisticado à mesa de trabalho do home office.

Uma curiosidade sobre o vidro é que, junto com a borracha, ele encabeça a lista de materiais que levam mais tempo para se decompor – são cerca de um milhão de anos! Por outro lado, no processo de reciclagem, ele é 100% aproveitável, não há perdas significativas. Agora que você conhece tudo sobre ele, confira alguns métodos, dicas e receitas de como limpar vidros e espelhos de forma correta.

PARA VOCÊ