Faça você mesmo: como pintar e restaurar móveis de madeira

Escrito por Mariana Bianchini
Foto: iStock

Foto: iStock



Muitas vezes temos vontade de dar um ar novo ao nosso lar, porém pensamos que isso sempre significa fazer altos investimentos e acabamos deixando a ideia de lado, sem considerar que existem várias coisas que podem ser reaproveitadas em casa. Com paciência e dedicação, é possível mudar ambientes fazendo pequenos ajustes em móveis e itens já existentes.

Os móveis de madeira, particularmente, são móveis muito duráveis, que podem se desgastar com o tempo, mas que são fáceis de reformar e podem ser reaproveitados. A sua alta duração e a possibilidade de reforma faz valer o investimento.

“Móveis de madeira, especialmente os antigos, costumam ter um design capaz de ultrapassar gerações e doar uma identidade única ao ambiente. Além disso, muitos deles foram produzidos com madeiras que já nem existem mais, de excelente durabilidade, capazes de aguentar muitos anos de vida e inúmeras transformações”, diz Helka Velloso, restauradora de móveis antigos.

O que você vai precisar

iStock

Foto: iStock

Para reformar um móvel de madeira, é preciso listar e comprar todos os materiais necessários. Velloso diz que essa lista depende do estado em que o móvel se encontra, mas que alguns itens são imprescindíveis. Confira uma lista básica para começar a sua reforma:

  • Lixas de diferentes gramaturas;
  • Cola para madeira;
  • Massa para acabamento em madeira;
  • Rolinhos e pincéis;
  • Tinta para madeira na cor desejada à base de água ou solvente;
  • Pano úmido para limpar o móvel;
  • Fundo preparador para metais e madeiras;
  • Verniz protetor para madeira;
  • Jornal velho para proteger o chão.

Separar os materiais que serão utilizados na reforma é uma tarefa que deve ser realizada antes de começar o trabalho. Da mesma forma, existem outras medidas que podem facilitar o processo, como por exemplo, preparar do local de trabalho e verificar as necessidades do móvel.

Dicas antes de começar a pintura e restauração

Foto: iStock

Foto: iStock

De acordo com Helka Velloso, a dica mais importante para a restauração de móveis de madeira é ter paciência, já que os procedimentos exigem calma, cautela e tempo. Fora isso, existem alguns outros cuidados que devem ser tomados para garantir um bom trabalho.

Primeiramente, escolha um local arejado e bem iluminado para trabalhar. Forre este local com jornais velhos ou lonas de plástico para evitar sujeiras e respingos de tinta. Além disso, utilize luvas e óculos de proteção para não se machucar durante o processo.



Analise o móvel. Perceba o que deverá ser feito durante a reforma. Essa tarefa ajudará a listar os materiais que serão necessários para o trabalho. Velloso sugere deixar a peça completamente livre antes de iniciar a reforma. Retire os puxadores e dobradiças, por exemplo. “Embora seja uma das tarefas mais difíceis e chatas, é nesse processo que realmente conhecemos um móvel, percebemos seus defeitos e as partes que necessitam de massa ou cola e podemos admirar seus detalhes”, diz a profissional.

Como pintar e restaurar os móveis de madeira – passo a passo

Foto: iStock

Foto: iStock

Após preparar o ambiente e os materiais necessários, é hora de começar a reforma. Confira um passo a passo que pode funcionar como guia para seu trabalho, ajudando na organização e na realização de cada uma das etapas do processo.

  1. Remova os acessórios: o primeiro passo para começar a reforma é remover todos os acessórios do móvel. Remova puxadores, alças, dobradiças e outras partes removíveis. Isso faz com que a tinta não respingue nos acessórios e que a peça possa ser completamente coberta pela tinta.
  2. Limpe o móvel: use panos úmidos e flanelas para limpar sujeiras acumulados com o tempo, deixando a peça totalmente pronta para a pintura.
  3. Repare partes danificadas: use massa corrida para madeira para corrigir partes danificadas, como buracos, superfícies lascadas e amassados.
  4. Lixe o móvel: lixe o móvel de maneira uniforme para remover sujeiras, tintas, resíduos, verniz e outros revestimentos antigos. Esse passo fará a nova tinta aderir mais facilmente.
  5. Remova resíduos: depois de lixar, remova os resíduos, pó e sujeira que tenham sobrado no móvel com uma flanela ou pano.
  6. Pinte o móvel: você precisa escolher o tipo e a cor da tinta que deseja usar. Com isso definido, comece a pintar. Use os rolinhos de espuma e os pincéis, fazendo movimentos na mesma direção, em sentido único. Espere secar e aplique outra camada de tinta, dando mais atenção atenção aos detalhes.
  7. Recoloque os acessórios: após a segunda camada de tinta ter secado, coloque os acessórios de volta em seus lugares utilizando uma chave de fenda.

Depois de finalizar essas sete etapas, sua reforma estará pronta. Ao longo do processo observe as necessidades do seu móvel, perceba se serão necessárias mais camadas de tinta ou outros produtos para fixar e dar acabamento, por exemplo.

5 tutorias de móveis reformados: antes e depois

Para se inspirar, utilizando como base e também como motivação para começar a sua reforma, confira alguns tutoriais em vídeo de móveis que foram reformados.

1. Personalize seu móvel

O canal da loja Meu Móvel de Madeira ensina de forma rápida, prática e visual a restaurar o móvel desejado, dando uma cara nova à uma peça antiga.

2. Como pintar um móvel

Karla Amadori ensina a personalizar uma cômoda. Ela não faz a reforma completa, mas realiza a pintura e traz originalidade ao móvel.

3. Como restaurar uma penteadeira



Maddu Magalhães traz brilho e personalidade à uma penteadeira de madeira branca, lixando, pintando e customizando o móvel.

4. Como restaurar um criado-mudo

Confira a reforma de criados-mudos feitos de madeira maciça.

5. Como pintar MDF

Nesse vídeo, podemos observar todo o processo de reforma. A dona do blog Umbigo Sem Fundo ensina a lixar, pintar e dar acabamento à dois móveis diferentes.

De forma geral, restaurar móveis antigos significa economizar dinheiro, valorizar madeiras de alta durabilidade que talvez nem existam mais, preservar o meio ambiente e reconhecer a existência de uma decoração afetiva, ligada à sentimentos e memórias. “Não consigo enxergar algo mais representativo que um móvel de madeira herdado pela família habitando a casa, por exemplo”, aponta Helka Velloso.