10 plantas que limpam o ar da casa indicadas para ambientes fechados

Escrito por Ana Kordelos

Foto: iStock

Continua após o anúncio



Nada mais belo do que um ambiente decorado com uma planta. Além de adicionar beleza e charme ao local, elas ainda pode proporcionar outros benefícios, como exalar uma essência agradável perfumando o cômodo ou ainda livrar o ar de possíveis impurezas.

Além disso, a presença de uma planta no interior de seu lar possibilita o contato direto com a natureza, mesmo em ambientes fechados, ajudando a relaxar. Cultivar uma planta em sua residência pode ainda proporcionar bons momentos, já que esta demanda certos cuidados, podendo ser uma prática terapêutica.

Conforme a personal garden Carla Formanek, proprietária do Charlotte na Varanda explica, a prática de utilizar plantas na decoração de interiores está em alta devido a alguns estudos recentes que comprovam os benefícios destas para nossa saúde. “Várias delas são ótimas ‘limpadoras de ar’, neutralizando ou reduzindo diversos tóxicos que contaminam o ar, além de atuarem na umidade do anbiente, aumentando-a ou diminuindo-a”.

De acordo com a profissional, o cultivo de uma planta em ambiente interno é importante especialmente para quem mora em cidades grandes ou apartamentos, devido a dificuldade do contato com a natureza. “Estas plantas são bem resistentes, podendo viver com pouca incidência solar. Algumas chegam até a florescer!”, revela.

Dentre os poluentes mais comuns encontrados no ar ambiente, que grande parte das plantas consegue filtrar, estão o formaldeído, tricloroetileno, xileno, amoníaco e benzeno. Confira a seguir uma seleção de espécies indicadas pela personal garden que podem auxiliar a remover as toxinas do ar de seu lar, deixando-o mais puro e agradável:

1. Aloe vera

Foto: Reprodução / Aloe Explotaciones

Podendo alcançar até um metro de altura, a aloe vera é ideal para cultivo em vasos. A poda pode manter seu crescimento sob controle, porém deve ser feita com cuidado, já que suas folhas soltam um suco pegajoso e amargo.

Também conhecida como babosa, a planta ainda possui a vantagem de ter usos medicinais, podendo ter sua polpa aplicada sobre queimaduras leves ou de primeiro grau para aliviar o incômodo, além de tratar problemas no couro cabeludo. Para se manter saudável, a aloe vera necessita de pouca água e muita incidência de sol. Um ponto interessante é que a planta ainda alerta quando o ar está muito poluído: surgem pequenos pontos marrons em suas lindas folhas verdes.

Continua após o anúncio



2. Lírio da paz

Foto: iStock

Espécie com bela floragem, o cultivo do lírio da paz demanda pouca luz e pouca rega. Segundo pesquisas, ela é capaz de filtrar os cinco gases tóxicos mais encontrados no meio ambiente. A planta pode ser cultivada tanto em vasos menores quanto maiores, possuindo longa vida útil.

O alerta vai para quem possui animais de estimação no interior da residência: esta é uma planta tóxica e deve ficar longe dos seus amiguinhos. Preferindo climas tropicais e subtropicais, não deve ser exposta a correntes de ar por muito tempo.

3. Orquídeas

Foto: iStock

Conforme a profissional revela, esta espécie filtra o xileno, que está presente em colas e tintas. “Além disso, elas realizam a troca do oxigênio durante o período da noite, sendo uma ótima opção para se manter no quarto”, explica.

Belíssimas e com cores variadas, as orquídeas não toleram regas em excesso, por isso é ideal evitar deixar água parada no pratinho do vaso. As plantas necessitam de pouca exposição ao sol: quatro horas já são o suficiente para manterem-se saudáveis.

4. Imbé

Foto: Reprodução / Best of Web

Planta originalmente trepadeira, a imbé pode ser cultivada em amplos vasos desde que ganhe podas constantes. Esta planta possui folhagem em formato de coração, com uma coloração verde brilhante. O ideal é cultivá-la em solo adubado, e não é recomendada para lares com bichos de estimação.

Podendo ser posicionada tanto na sombra quanto na meia sombra, se exposta por muito tempo ao sol pode ficar com suas folhas amareladas. Segundo Carla, esta planta possui a capacidade de eliminar todos os tipos de compostos voláteis do ar.

Continua após o anúncio



5. Palmeira ráfis

Foto: iStock

Planta originária da Ásia, a ráfis também é conhecida como palmeira-dama. Com alto crescimento, pode atingir até 3 metros, devendo ter podas periódicas para delimitar sua altura. A planta prefere áreas com temperaturas médias e sem a incidência direta de luz solar.

A personal garden revela que esta espécie possui a função de eliminar do ar o formaldeído, xileno e amoníaco, compostos presente em materiais de limpeza, tecidos e tintas para cabelo.

6. Samambaia

Foto: iStock

“Esta espécie necessita de um ambiente mais úmido e com luz indireta, fugindo das regras da maioria das plantas de interiores, além de precisarem ser regada com maior frequência”, revela Carla.

Além de serem ótimas para retirar as impurezas do ar, existem estudos que sugerem que as samambaias ainda são capazes de remover arsênico e mercúrio do solo. Capaz de suportar baixas temperaturas no inverno, é uma das plantas mais comumente cultivadas em lares por todo o país.

7. Escudo prateado

Foto: Reprodução / 6sqft

Espécie da família Araceae, com nome de Homalomena wallisii, é bem semelhante à velha conhecida “comigo-ninguém-pode”. É uma planta de menor porte, podendo ser cultivada em vasos pequenos, possuindo folhas verde manchadas de creme.

Com o poder de absorver amoníaco, tolueno e xileno, o escudo prateado necessita de ambiente mais úmidos, demandando regas frequentes. O alerta fica para os amantes de gato: esta planta é extremamente tóxica para estes animais.

Continua após o anúncio



8. Dracena

Foto: iStock

Combatendo os poluentes presentes em vernizes e óleos, a dracena prefere locais bem iluminados, necessitando ser regada com água mineral, já que a água de rua contém altos níveis de flúor.

Planta de alto porte com múltiplos troncos finos, suas folhas são pontudas e longas, coloridas em verde ou rosadas, podendo compor belos arranjos. Dentre os tóxicos que combate, pode-se citar a amônia, o tolueno, o formaldeído, o benzeno e o tricloroetileno.

9. Ficus Benjamina

Foto: Reprodução / Vizpark

Esta espécie pode ser cultivada em interiores enquanto jovem, vivendo bem com uma incidência indireta de luz. De caule acinzentado pode atingir até 30 metros de altura. Uma boa opção é cultivá-la com a técnica do bonsai para manter seu rápido crescimento controlado.

Absorvendo formaldeído, tolueno e xileno, deve ser evitada por quem possui animais de estimação, já que sua seiva é tóxica, além de esta causar alergias e irritações de pele.

10. Espada de São Jorge

Foto: iStock

“Esta planta possui a capacidade de absorver formaldeídos liberados por madeiras, tecidos sintéticos e carpetes, e assim como as orquídeas, elas liberam oxigênio durante à noite”, ensina Carla.

Versátil, a espada de São Jorge se adapta a ambientes com diferentes condições de temperatura e iluminação, além de não precisar de regas frequentes. Dentre os compostos que esta filtra estão o tricloroetileno, tolueno, xileno, benzeno e o formaldeído.

Seja para embelezar a residência, trazendo mais charme e possibilitando o contato junto à natureza mesmo em ambientes internos, ou ainda utilizadas para purificar o ar, livrando-nos de compostos tóxicos, escolha sua espécie favorita e aposte em seus benefícios!