13 temperos para plantar em casa e dar mais sabor ao seu dia a dia

Escrito por Mariana Jati
Em 28.07.20

iStock

Você sonha em ter uma horta de temperos, mas não sabe quais plantar ou como cuidar? Selecionamos 13 temperos para plantar em casa que certamente vão mudar seu desempenho na cozinha, além de deixar sua horta um charme só. Várias ervas e plantas vivem muito bem em vasos e espaços menores, sendo perfeitas para plantar em casa. Confira:

Continua após o anúncio



13 temperos para cultivar em casa

Ervas e temperos naturais, além de mais saudáveis, são muito mais saboroso do que temperos prontos e ultra processados! Com o conhecimento de quais plantas cultivar e um pouco de paciência, você pode criar uma horta de temperinhos em casa e sem complicação. Veja algumas opções de temperos para plantar em casa:

Tua Casa

1. Alecrim

Bastante versátil e resistente, essa erva de origem mediterrânea combina muito bem com carne de cordeiro, peixe, molho vermelho, pães e massas, entre outros. É um ótimo tempero para plantar em casa, pois também tem um visual incrível. Mantenha seu alecrim sempre verde com essas dicas:

  • O alecrim precisa de pouca água e de um solo drenável. Excesso de água é a maior causa de morte da planta!
  • Por ser de uma região seca, o alecrim precisa de bastante sol para se desenvolver.
  • Diferente de outros temperos desta lista, o alecrim não precisa de adubagem. Uma mistura de areia e substrato já é o suficiente para o arbusto crescer feliz.
  • Tome cuidado com períodos de temperaturas baixas! O alecrim não lida bem com o frio, precisando de uma atenção extra nos dias de inverno.
  • Se for manter seu alecrim envasado, prefira um vaso grande. Dessa forma, sua planta poderá crescer muito mais.

2. Cebolinha

A cebolinha é um clássico das hortas e das cozinhas brasileiras. Suas folhas são longas, cilíndricas, ocas e bastante verdes. Pode ser usado no preparo de vários pratos da culinária oriental, além de agregar sabor a saladas frias, sopas, molhos e até manteiga. É o tempero perfeito para plantar em casa. Veja como cuidar de um pé de cebolinhas:

  • A cebolinha se adéqua bem a vários climas, porém prefere um clima mais ameno, sem grandes picos de temperatura.
  • Precisa de um solo fofo, drenado e enriquecido com matéria orgânica para se desenvolver.
  • Esse tempero precisa estar sob sol pleno para crescer de forma saudável. O ideal é que receba ao menos 4 horas de luz direta por dia.
  • Regue as cebolinhas sempre que notar o solo seco. Por ficar bastante ao sol, essa planta também precisa de umidade.
  • Na hora da colheita, você pode retirar a planta inteira de dentro da terra ou, com o auxílio de uma tesoura, cortar 3 dedos acima do solo. Dessa forma suas cebolinhas voltarão a crescer em alguns dias!

3. Coentro

O coentro pode até não ser uma unanimidade no paladar brasileiro, mas muitas culinárias utilizam essa erva. É o caso da cozinha mexicana, indiana e de vários pratos do nordeste do Brasil. Para além da culinária, o coentro também possui incríveis propriedades medicinais. Pensando em cultivar coentro por aí? Confira essas dicas:

  • O coentro pode ser mantido dentro de casa ou em áreas externas, porém precisa estar sempre sob sol pleno ou parcial. Quanto mais sol, mais intensas serão a cor e o sabor da erva.
  • Suas regas devem ser mais frequentes quando a planta for jovem, porém sem nunca encharcar a terra. Quando a planta se desenvolver, é indicado que deixe que o solo seque entre uma rega e a outra.
  • Quando jovens, as folhas do coentro podem acabar sendo amassadas pela água durante a rega. Caso isso aconteça, ajude as folhas a voltarem para a posição original para que não morram.
  • Coentro é uma planta sensível ao clima frio e se desenvolve melhor em ambientes com temperatura na faixa dos 25°C a 28°C.
  • As sementes do coentro são bastante utilizadas como tempero. Para colhê-las, espere que os frutos do coentro fiquem bem maduros, com a aparência seca. A semente de coentro é um excelente aromatizador!

4. Estragão

Queridinho na culinária francesa, o estragão é um dos elementos que compõe a mistura chamada de “ervas finas”. Suas folhas brilhantes e verde-acinzentadas combinam bem com diversas carnes, cremes, molhos leves, saladas, pães e até bebidas. Que tal aprender mais sobre seu cultivo?

  • O estragão possui algumas variedades, como o estragão-francês e o russo. O primeiro é o mais utilizado na culinária por conta de seu sabor acentuado. Contudo, a variedade russa é mais resistente.
  • Gosta de sol pleno, porém não se dá bem com altas temperaturas. O ideal para seu cultivo é que o local fique entre 4°C e 20°C. Em climas quentes, a erva costuma crescer sem sabor.
  • O solo deve ser fértil, drenável e mediamente fértil. Contudo, consegue se desenvolver também em solos mais pobres ou pedregosos.
  • Seu estragão perdeu as folhas no inverno? Não se preocupe! Essa planta costuma entrar em estado de dormência durante períodos mais frios. O estragão-russo leva vantagem nesse quesito, apesar de ser menos saboroso e aromático.
  • Essa erva precisa de um solo húmido, porém sem excesso de água. Tome cuidado para não exagerar na rega durante o inverno!

5. Gengibre

O gengibre é uma ótima opção de tempero para plantar em casa. Extremamente versátil, pode ser usado para temperar carnes, sopas, alguns pratos da culinária asiática, doces, chás e ainda apresenta diversas propriedades medicinais. Para ter gengibre sempre a mão, siga essas dicas:

  • O plantio do gengibre é possivelmente o mais simples. Tendo um pedaço da raiz em bom estado, só são necessários dois dias submerso em água morna para que seus brotos comecem a aparecer.
  • Se plantado em vaso prefira um longo, já que o crescimento do gengibre é horizontal, diferente de outros temperos apresentados aqui, que crescem verticalmente.
  • Seu solo deve ser drenável, fofo e bem nutrido para que a raiz cresça saudável.
  • Gengibre não precisa de sol direto, então é uma ótima ideia mantê-lo dentro de casa, ou em locais com luz abundante, porém sem sol pleno.
  • Sua rega deve ser maior durante o período de germinação, sempre evitando encharcar o solo, pois isso prejudica as raízes.

6. Hortelã

A hortelã é uma planta curinga que pode ter suas folhas usadas como tempero, em especial na culinária árabe, em sucos, drinks, chás e remédios caseiros. Por ser de fácil manutenção, é uma ótima opção para qualquer horta caseira. Veja como cultivar essa erva em casa:

Continua após o anúncio



  • É recomendável que o solo preparado para uma muda de hortelã seja adubado, úmido e fofo.
  • Gosta de bastante luz solar, porém não precisa ficar sob luz constante. Com sol pela manhã e um pouco de sombra à tarde, já consegue crescer bem.
  • Suas regas precisam ser diárias, porém tome cuidado para não encharcar a planta! Solo húmido já é o suficiente.
  • Não mantenha hortelã no mesmo vaso que outras plantas, ela pode acabar prejudicando o crescimento das companheiras por ter raízes longas.
  • Para garantir as folhinhas do seu hortelã, não deixe que a planta floresça! Retirar os botõezinhos ajuda que a sua colheita dure mais.

7. Manjericão

Um clássico da culinária italiana, o manjericão é um ótimo temperinho para se ter por perto. Tempera molhos e massas como ninguém, tem propriedades medicinais e ainda deixa a cozinha com um cheirinho delicioso! Confira como cuidar desse queridinho da Itália:

  • É recomendável que o cultivo do manjericão seja feito em um vaso apenas para ele. Porém, se precisar otimizar espaço, a erva pode acompanhar um pé de tomate! Não é só dentro da panela que eles combinam.
  • O manjericão gosta de sol e calor. De 4 a 6 horas de sol por dia é o suficiente para manter suas folhas verdes e saudáveis.
  • Porém, cuidado ao manter um vaso de manjericão na cozinha. O calor advindo do forno e fogão pode murchar a planta.
  • Seu solo ideal é rico em matéria orgânica, drenado e úmido.
  • Prefira regar seu manjericão durante a manhã, dessa forma a planta absorve a água necessária e o restante evapora ao longo do dia.

8. Manjerona

Apesar de seu nome lembrar o do manjericão, a manjerona é mais similar ao orégano em aparência. Com um sabor leve, a manjerona pode ser usada tanto fresca quanto desidratada para dar aquele toque especial em massas, molhos, legumes e saladas. Aprenda a cuidar dessa ervinha incomum:

  • Assim como o manjericão, a manjerona pede um vaso em que possa crescer sozinha, já que precisa de espaço. Vasos de 20 a 25 centímetros de profundidade e boca larga são ideias para o cultivo.
  • Gosta de um solo argiloso, com bastante matéria orgânica e vasos com bom escoamento de água.
  • A manjerona aprecia o sol e o calor, precisando ficar algumas horas por dia sob luz direta. Quanto mais luz, mais sabor suas folhinhas terão.
  • A rega deve se dar sempre que o solo estiver seco, mas sem nunca encharcar. Ela lida bem com pequenos períodos de estiagem, então prefira regar pouco a afogar sua manjerona.
  • Tome cuidado com cães e gatos que possam ter acesso a planta! Infelizmente a manjerona possui princípios que podem ser tóxicos para os pets, causando vômitos e diarreias.

9. Orégano

Entre os temperos para plantar em casa, o orégano é um dos favoritos. Essa planta de folhas pequenas e ovaladas é resistente, produz bem por muitos anos e não precisa de muito espaço para se desenvolver. Veja como manter um pé de orégano em casa e incrementar sempre seus molhos, pizzas e massas:

  • Tal qual a manjerona e o manjericão, o orégano aprecia o clima quente, e precisa de sol direto ao menos durante algumas horas do dia para que suas folhas tenham o sabor e aroma esperados.
  • Aprecia um solo bem adubado, porém consegue se desenvolver bem em solos mais pobres e até em jardins pedregosos.
  • A rega deve ser periódica, acontecendo sempre que o solo estiver seco ao toque. Quando já bem estabelecido, o orégano suporta pequenas estiagens.
  • Efetuar o replantio a cada 2 ou 3 anos vai garantir que o seu pé de orégano continue sempre feliz e produzindo!
  • A primeira colheita pode acontecer quando a planta já estiver com 20 centímetros. Para usar a erva desidratada, as folhas devem secar em local escuro, seco e bem ventilado.

10. Pimenta dedo-de-moça

Com um visual e sabor marcantes, a pimenta dedo-de-moça marca presença em diversos pratos. Da culinária mexicana, a doces e compotas, essa pimenta brilha lindamente. Além de ser um tempero versátil, a pimenteira ainda dá um toque de cor todo especial à horta. Confira dicas de como manter a planta:

  • As pimentas em geral apreciam muito o clima quente, e a dedo-de-moça não é exceção. São muito sensíveis a geadas e chuva, então preste atenção!
  • A pimenteira gosta de bastante sol, direto ou não, e precisa dele para que produza em grande quantidade e frutos com sabor marcante. Algumas horas por dia já são o bastante.
  • Por ficar bastante exposta ao sol e ao calor, a rega da pimenta dedo-de-moça também requer atenção. Regue sempre que a superfície da terra se mostrar seca, e nunca a encharque. Regas matutinas são as ideais, pois a água que a planta não absorve seca ao longo do dia.
  • Não tenha receio de colher as pimentas! A colheita estimula a planta a produzir mais.
  • Após a colheita, uma pequena poda cai bem e garante que a pimenteira continue crescendo com vigor e produzindo mais pimentas para a sua casa.

11. Salsa

Salsa, salsinha ou cheiro-verde: vários nomes para uma mesma erva que faz muito sucesso na cozinha de boa parte dos lares brasileiros. Temperando molhos, assados, saladas, sopas e muito mais, a salsa reina soberana. E ainda possui propriedades medicinais impressionantes, como ação antidepressiva, diurética e cicatrizante. Aprenda a cultivar essa queridinha:

  • É recomendável que a salsa seja plantada em um solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e drenável, para que não acumule água.
  • Diferente de outras plantas dessa lista, a salsa suporta bem o frio e possíveis geadas, contudo, a estiagem e o calor intenso prejudica muito a erva.
  • Cresce bem em meia sombra e recebendo algumas horas de sol direto ao longo do dia, e precisa de regas periódicas, sempre que o solo aparentar seco.
  • A colheita deve ser feita sempre retirando todo o ramo, não apenas as suas folhas. Contudo, tome cuidado para não retirar os brotos que ficam no “olho” da planta, seu centro, pois isso acarretará a morte da salsa.
  • O tempo de vida da salsa depende muito da variedade escolhida e do manejo da planta, porém, ela vive em média por até 2 anos.

12. Sálvia

Essa pode até não ser a mais querida das plantas dessa lista, já que seu sabor forte pode desagradar alguns, mas não deixa de ser útil na horta. A sálvia tempera muito bem carnes bovinas, de frango, caças, cordeiro e leitão, são ótimas para a aromatização de queijos, azeites e licores, além de possuir várias propriedades medicinais. Saiba como cultivá-la:

  • Em vasos, ou canteiros no jardim, a sálvia precisa de um solo enriquecido com matéria orgânica, drenável, e que seja de neutro a alcalino.
  • Gosta de sol, mas vive bem à meia-sombra, recebendo algumas horas de sol direto ao longo do dia.
  • A sálvia é uma planta bastante resistente a mudanças de temperatura no geral, mas não lida muito bem com períodos de frio acompanhado de muita umidade. Se esse for o inverno da sua cidade, prefira mantê-la em um vaso para que possa protegê-la mais facilmente.
  • Sua rega deve ser regular durante seus primeiros meses para que possa se estabelecer. Após esse período deixe as regas mais espaçadas, e se plantadas direto no chão, podem até depender apenas de chuva.
  • Não se esqueça de fertilizar a sálvia a cada colheita, e faça a poda após cada floração. Assim, seu pé de sálvia se manterá saudável e produtivo por mais tempo.

13. Tomilho

De folhinhas pequenas e um aroma delicioso, o tomilho não pode faltar na sua horta. Seus ramos podem ser utilizados secos ou ao natural e temperam molhos de tomate e à base de queijos, carnes diversas, e massas. Além de ser um ótimo tempero, o tomilho ainda possui propriedades medicinais antirreumáticas e digestivas. Aprenda a cuidar dessa pequena notável:

Continua após o anúncio



  • O tomilho prefere ser plantado diretamente no chão, porém vive bem em vasos em que possa crescer bastante.
  • Gosta de solos neutros, enriquecidos com matéria orgânica e bastante drenáveis.
  • Deve ser aguado regularmente e não tolera encharcamentos. Quando já bem desenvolvido, lida bem com pequenos períodos de estiagem, então prefira a falta de água esporádica a seu excesso.
  • Essa erva deve ser mantida à meia-sombra ou sol pleno, porém tome cuidado com mudanças bruscas de temperatura e geadas!
  • A poda deve ser feita sempre após a floração para garantir a saúde de seu tomilho por muitos anos.

Já escolheu quais temperos vai plantar em casa? Então agora é a hora de aprender a criar hortas e manter seus futuros temperinhos sempre produzindo!

Como fazer uma horta de temperos em casa

Suspensa, em garrafa PET, vertical… São muitas as formas de se manter tempero plantado em casa. Com certeza alguma dessas será perfeita para o seu espaço!

Horta autoirrigável na garrafa PET

Está é uma forma muito útil de reutilizar garrafas PET e que ainda facilita o cuidado dos seus temperinhos! O vídeo da Alessa Mori te mostra o passo a passo desse vaso autoirrigável incrível que você consegue fazer rapidinho.

Como criar uma horta na caixa plástica

Mais uma super forma de reutilizar materiais na hora de criar a sua hortinha de temperos. Nesse vídeo da Marieli Mallmann, você aprende a criar uma horta vertical incrível usando aquelas caixas plásticas de feira. É uma opção fácil, espaçosa e que ajuda o meio ambiente.

Horta de temperos suspensa

Já imaginou uma mini horta de temperos penduradinha na sua cozinha? O canal Ideias no Varal imaginou, criou e te ensina o passo a passo para repetir essa ideia criativa aí na sua casa. Fica uma fofura.

Agora que você já sabe quais os temperos para plantar em casa, e como fazer, é hora de colocar a mão na terra e começar a criar! Quer mais dicas verdinhas para a sua casa? Confira algumas ideias de plantas para apartamento.

Continua após o anúncio