Limpeza sem erro: aprenda a limpar corretamente 20 tipos de pisos

Escrito por Mariana Keller

Foto: iStock

A limpeza de pisos pode parecer fácil, mas por incrível que pareça, muitas pessoas acabam errando na hora de limpar o chão da casa. E, às vezes, o que era para deixar o ambiente limpo e higienizado, pode acabar gerando manchas, arranhões ou até mesmo prejudicar o piso a longo prazo, diminuindo a sua durabilidade.

Existem vários tipos de piso, feitos de uma infinidade de materiais diferentes. Logo, eles não podem ser limpos da mesma forma. Cada um deles merece atenção especial e necessitam de cuidados específicos. Porém, em todos os casos a limpeza deve começar da mesma maneira: recolhendo toda a poeira e a sujeira acumuladas no chão com uma vassoura de cerdas macias. Só depois disso é que seu piso poderá receber um tratamento para tirar manchas e recuperar o brilho.

Então, se você perceber que o chão da sua casa já não brilha como antes, que algumas manchas estão começando a aparecer ou que estão ficando sujos e encardidos, está na hora de fazer uma boa limpeza. Confira a seguir dicas e recomendações de especialistas sobre os produtos e métodos mais apropriados para a limpeza e o tratamento de 20 tipos de pisos.

1. Ardósia

Foto: Reprodução / Rabisco Arquitetura

O problema principal das pedras porosas é seu alto poder de absorção, o que pode causar o surgimento de manchas ao longo do tempo. A ardósia não é tão porosa, mas mesmo assim não suporta produtos muito concentrados, então é preciso ter cuidado na hora de limpar.

A personal organizer Juliana Faria diz que o primeiro passo para a limpeza deste tipo de piso é tirar a sujeira. ”Use uma vassoura de pelos macios ou um aspirador de pó. Em seguida, faça uma solução de água com detergente neutro. Para cada 5 litros de água coloque 1 colher de sopa de detergente neutro. Passe no piso com um pano macio ou com o mop”, ensina ela.

Se você quiser um chão brilhoso, uma boa dica é acrescentar três colheres de vinagre branco à mistura da água com detergente neutro. Juliana diz também que é possível fazer uma impermeabilização, que é um procedimento que impede que a água se acumule por baixo do piso. Além disso, ele também impedirá que a água infiltre pela estrutura do imóvel, o que pode resultar em danos muito caros para reparo. Mas atenção, “não utilize produtos abrasivos, esponjas de aço, pedra-pomes ou escovas com cerdas duras para não correr o risco de riscar a superfície”, alerta Juliana.

2. Carpete

Foto: Reprodução / Krakowiak & Tavares Arquitetura

A limpeza dos carpetes consiste basicamente no uso de um pano úmido e de um aspirador de pó. Evite usar água em excesso, pois pode causar mofo. Para quem tem alergia, esse tipo de revestimento merece atenção especial, já que o acúmulo de poeira é maior, e a limpeza deve ser frequente.

A personal organizer explica como deve ser feita a limpeza dos carpetes: “aspire no mínimo três vezes por semana e utilize aspirador de pó com boa sucção e bocal liso, sem esfregar demais. Bocais serrilhados ou em mal estado (ásperos) podem prejudicar a superfície do carpete, desfiando os fios. Mensalmente ou quando o carpete apresentar aspecto sujo e sem vida, passe um pano branco, limpo e úmido em toda a superfície, secando com outro pano branco a seguir”.

Juliana orienta também a sempre testar os produtos de limpeza em uma área pequena do carpete antes de usá-los, assim você não corre o risco de estragar ou manchar esse tipo de piso. Além disso, o carpete também não é muito recomendado para quem tem animais de estimação, por causa do acúmulo de pelos.

Se o seu carpete estiver com manchas, Juliana alerta que independente da natureza da mancha, ela deve ser removida o mais rápido possível para evitar a penetração e fixação do produto que manchou o carpete. “Algumas substâncias podem reagir com as fibras, fixando-se para sempre se permanecerem no carpete por muito tempo”, explica ela. Em todos os casos, antes de iniciar o processo de remoção da mancha, retire o máximo possível do produto que caiu sobre o carpete com uma espátula ou papel absorvente.

Para quem gosta de uma boa receitinha caseira, Juliana indica a seguinte fórmula: em 1 litro de água morna, dissolva 1 colher de sopa de detergente neutro e 1 colher de sopa de vinagre branco. Agite bem para formar espuma. Passe a espuma com movimentos circulares e deixe por alguns minutos. Esfregue levemente o local manchado com uma esponja ou pano limpo, molhando o carpete o mínimo possível.

Importante: passe várias vezes sobre o local um pano úmido para retirar totalmente o resíduo de espuma do detergente aplicado no carpete. A secagem deve ser sempre feita com pano branco e limpo.

3. Cimento queimado

O cimento queimado é um tipo de piso que vem ganhando cada vez mais visibilidade, pois tem um aspecto mais rústico, imitando o concreto. Apesar de ser um piso durável, simples de limpar e resistente a impactos, algumas práticas são necessárias para mantê-lo em bom estado e evitar o seu desgaste a longo prazo.

Para a limpeza, Juliana recomenda novamente remover as sujeiras, como pó e areia, com vassoura de pelos macios ou aspirador de pó. Na hora de lavar o piso, basta utilizar detergente neutro, água morna, pano limpo ou escova de limpeza. A superfície nunca deve ficar molhada, pois outras sujeiras podem grudar.

Em casos de manchas, uma alternativa é lixar com muito cuidado a parte superficial do cimento queimado com uma lixa fina. Isso deve ser feito com muita atenção, para não danificar ou desnivelar o piso. Além disso, é importante evitar o uso de produtos abrasivos, pois podem causar riscos difíceis de serem removidos, e também de produtos ácidos, que danificam e tiram o brilho das superfícies.

Para manter a durabilidade, uma boa opção é o tratamento com resinas acrílicas ou à base d’água, que diminuem a porosidade da superfície e evitam a absorção de fungos e sujeira. Antes de aplicar a resina, é indicado passar uma base protetora com o auxílio de um rolo, pincel ou pistola. Recomenda-se aplicar a resina em duas demãos, respeitando o intervalo de 12 horas entre elas. A manutenção da resina deve ser feita a cada três anos.

Para quem deseja manter o piso brilhante e prefere uma opção mais econômica, uma boa alternativa é usar a cera ou até mesmo o verniz, aplicados semanalmente. Também é possível recorrer a serviços especializados de polimento, para garantir uma superfície bem lisinha. Por ser um piso poroso, é recomendado também a impermeabilização logo após a obra.

4. Cortiça

Foto: Reprodução / Marta Aroucha

Os pisos de cortiça são sustentáveis e possuem uma maior resistência a fungos e bactérias. Assim como a maioria dos pisos, a recomendação para a limpeza é a mesma: solução de água com detergente neutro e aplicação através de um pano macio.

Porém, mesmo assim, é preciso ter em mente que a limpeza da cortiça também depende do seu isolamento. Alguns pavimentos possuem uma camada superior protetora e impermeabilizadora, enquanto que outros não são instalados desta forma. Fique atento aos cuidados específicos para cada caso:

Impermeabilizado: Se o chão estiver bem impermeabilizado e puder tolerar alguma umidade, então é seguro limpá-lo com água. Nesse caso, encha um balde com água limpa e depois adicione detergente neutro. Juliana recomenda sempre a proporção de 1 colher de sopa de detergente neutro para 5 litros de água. Mergulhe um esfregão na água com detergente e esprema o excesso. Mesmo nos casos do pavimento ser bem isolado, quanto menos água, melhor. Limpe o chão normalmente. Em seguida, utilize um pano limpo para secar ou deixe-o secar ao ar. Se você preferir, pode optar por fazer a limpeza com produtos específicos para este tipo de piso. Procure sempre uma loja especializada e certifique-se que o produto de limpeza não irá causar danos ao isolamento da cortiça.

Não impermeabilizado: Neste caso, a melhor estratégia é não utilizar água e detergentes líquidos. Você pode utilizar uma esponja suave de borracha, uma vassoura macia ou um aspirador para retirar poeiras e outras sujidades soltas. Se escolher o aspirador, tenha cuidado para manusear de forma suave e sem riscar o chão. Nos locais mais afetados e com sujeira entranhada, aplique um pano limpo, ligeiramente umedecido e faça uma pequena pressão para limpar. Em seguida, passe um pano seco e limpo para retirar qualquer vestígio de água e umidade. Repita estas duas últimas etapas até ficar completamente limpo. Deixe o piso secar ao ar.

Na maioria das vezes, o fabricante já coloca uma camada protetora especial neste tipo de revestimento, o que evita manchas e reduz ao mínimo possível o desgaste do dia a dia. Porém, para manter a durabilidade do chão de cortiça, é possível também encerá-lo com certa regularidade. Só preste atenção e use sempre a cera apropriada para não correr o risco de danificar o piso. Também é preciso ter cuidado com móveis muito pesados sobre a superfície e até mesmo com animais de estimação.

5. Emborrachado

Foto: Reprodução / M Light

Este piso é bem versátil, a placa de borracha pode ser encontrada em diferentes modelos, cores e até mesmo simulando madeira. A limpeza deste piso é muito fácil e também necessita apenas de um pano úmido e detergente neutro. Para remover o acúmulo de sujeira, dê preferência a panos de chão limpos e que não soltem fiapos.

Retire todo o excesso de poeira solta com uma vassoura. Utilize detergente neutro, que pode ser diluído tanto em água morna como fria, novamente na proporção recomendada por Juliana, 1 colher de sopa para 5 litros de água, e misture até formar espuma. Aplique o produto sobre todo o piso e espalhe com o auxílio de uma vassoura. Deixe a solução agir por alguns minutos para ajudar a soltar todas as sujidades impregnadas. Depois, comece a esfregar a superfície fazendo movimentos circulares.

Quando terminar, enxágue com água e retire todo o sabão. Para finalizar, enxugue todo o piso com a ajuda de um pano ou flanela seca e macia. É recomendável secar bem o piso para não acumular ou grudar sujeira e poeira que podem estar presentes em outros cômodos.

Você também pode usar um desinfetante para completar a higienização e restaurar o brilho.  Além disso, também é possível utilizar vinagre, que ajuda a restaurar a aparência brilhante e também atua na eliminação de odores desagradáveis. Se você não gosta do cheiro característico do vinagre, pode diluir um pouco do produto em um balde com água e sabão.

Cristiane Ayres, gerente do departamento de P&DP da marca de produtos de limpeza Casa KM, recomenda alguns produtos da marca para esse tipo de piso: “Para uma limpeza geral e leve, dilua ½ copo americano (100ml) de Casa & Perfume em 3 litros de água. Umedeça o pano e aplique sobre as superfícies a serem limpas”. Para limpeza pesada, Cristiane recomenda aplicar o produto puro com um rodo e pano úmido. Além disso, ela alerta: “nunca utilizar solventes/ removedores e não aplicar ceras, pois não poderá ser removida”.

Para manter a limpeza, passe a vassoura duas ou três vezes por semana. Em áreas com grande circulação, é necessária uma manutenção maior. Nestes casos, passe um pano úmido com produto de limpeza multiuso sem alvejante ou qualquer produto para limpar piso antiderrapante.

6. Granilite

Foto: Reprodução / Flavia Cardim

O granilite é uma pedra diferenciada que é composta por uma mistura de materiais como mármore, granito, quartzo e calcário, podendo ser misturados ou não, além de cimento, areia e água. Essa mistura forma o acabamento chapiscado do revestimento.

O piso desse material tem alta durabilidade e a limpeza também não difere da maioria.  Antes de qualquer coisa, devemos varrê-lo e, se possível, aspirar o excesso de pó e de resíduos. Após este procedimento, podemos entrar com a parte de lavagem. Lave todo o piso com a mesma solução de água e detergente neutro, como recomendado anteriormente, usando um pano macio ou mop. Após a limpeza, enxágue todo piso com água limpa.

Podem ser encontrados no mercado dois tipos de granilite, o polido e o fugê, que se diferenciam pela textura. O primeiro recebe acabamento liso e uma camada de resina, e o segundo mantém o relevo de pedriscos. É importante ressaltar que o granilite polido, quando molhado, se torna muito escorregadio devido a sua resina, portanto, após a lavagem, seque-o imediatamente.

Neste caso, Cristiane Ayres recomenda: “não usar ácidos, produtos com cloro ou com agentes abrasivos, pois podem danificar a superfície do piso”.

7. Granito

Foto: Reprodução / Elmor Arquitetura

O piso revestido com essa rocha nobre também é de grande durabilidade e ainda tem baixa absorção de água e é resistente a manchas. O maior problema do granito é que ele pode ser facilmente danificado pelos produtos de limpeza convencionais. Por isso, vale a pena ter cuidados para garantir um chão sempre higienizado e brilhante.

Dê preferência a vassouras de cerdas macias para tirar a sujeira solta. Para não errar na lavagem, use mais uma vez a solução de água e detergente neutro. Você pode optar também por produtos específicos para essa superfície, que são os de PH neutro. Use água fria. Além disso, ”use impermeabilizante uma vez por ano para facilitar a limpeza e evitar manchas”, recomenda Juliana.

Além dos produtos de limpeza convencionais, não use objetos duros, como esfregões de arame, e nem produtos para limpar pisos de cerâmica, porque podem tirar o brilho desta superfície. Soluções ácidas ou alcalinas, como vinagre, também são proibidas para este piso.

Dicas especiais:

– No caso de manchas, esfregue a área levemente na direção do grão. Não faça movimentos circulares para não estragar o piso.

– Use um pano de microfibra para secar e dar brilho ao piso. Nunca deixe-o secar naturalmente para evitar marcas de água.

– Evite usar aspirador de pó no piso de granito, pois pode riscá-lo.

– É recomendável colocar um tapete na entrada dos ambientes que tenham chão de granito.

– Se for usar objetos no chão, como vasos, por exemplo, coloque-os sobre um tapete de borracha para não ficarem em contato direto com o piso.

– Se você quiser prevenir ainda mais possíveis estragos e arranhões, pode aplicar uma camada protetora no piso.

8. Lajota ou ladrilho hidráulico

Foto: Reprodução / INÁ Arquitetura

Os pisos de ladrilho hidráulico são feitos artesanalmente e passam cerca de oito horas debaixo d’água para a cura, o que faz com seja durável e tenha aderência ao pisar, sem falar na facilidade de manutenção.

Embora seja resistente, também é um material bastante poroso, por isso deve ser e limpo e tratado com cuidado. Mais uma vez a receitinha infalível da Juliana deve ser usada. Remova a sujeira e o pó soltos usando uma vassoura de pelo e depois limpe com água e detergente ou sabão neutro. Em seguida, seque bem o revestimento com uma flanela ou pano que não solte fiapos. Secá-lo bem ajudará a evitar manchas de água e também que o pó presente no cômodo grude no acabamento.

A cada 20 ou 15 dias, deve-se aplicar cera específica para ladrilho hidráulico ou líquida incolor, aplique com o auxílio de um rodo e flanela. Isso ajuda a reforçar a proteção e a polir o piso, restaurando o seu brilho natural. Outra opção é passar uma lixa fina com um pouco de água no local que estiver sem brilho ou utilizar um desincrustador, usando uma enceradeira industrial.

Evite produtos de limpeza abrasivos e, para não riscar o acabamento, use uma esponja macia. Limpe imediatamente qualquer derramamento de líquido e evite arrastar móveis ou peças de metal.

Já as lajotas são tipos de azulejos que com o passar do tempo acabam sujando, desgastando e perdendo o seu brilho mais facilmente, pois tem grande capacidade de reter resíduos. É recomendado fazer a sua limpeza em média a cada 15 ou 30 dias. Pode usar os mesmos produtos e recomendações do ladrilho hidráulico.

9. Madeira de demolição

Foto: Reprodução / Décio Navarro

Os pisos de madeira de demolição são pisos de madeiras nobres de altíssima durabilidade. Normalmente são utilizadas madeiras de alta qualidade como a Peroba Rosa, o Ipê, o Jatobá e o Jacarandá, por exemplo.

Juliana recomenda novamente o mesmo processo de limpeza: vassouras macias para a retirar a sujeira solta e a solução de água e detergente para a lavagem, sempre utilizando um pano úmido. Mas, para esse piso, ela dá uma orientação especial: “torça muito bem o pano, pois a madeira pode absorver a água”. O excesso de água pode levar ao inchaço da superfície.

Como esse piso é mais rústico, então as manchas que ele ganha ao longo do tempo acabam deixando a madeira ainda mais charmosa, ou seja, diminui a preocupação com uma rotina de limpeza pesada.

Se você quer dicas de produtos de limpeza específicos para a madeira, Cristiane, da Casa KM, indica: “se a madeira for revestida com um impermeabilizante não acrílico, use o limpador perfumado Casa & Perfume. Para a limpeza pesada, aplique o produto puro com um rodo e pano úmido. Para limpeza leve, dilua ½ copo americano (100ml) de Casa & Perfume em 3 litros de água. Umedeça o pano e aplique sobre as superfícies a serem limpas. Agora, se você quiser realçar o brilho, use Brilho Fácil Cuidados Especiais.  Aplique o produto diretamente sobre um pano úmido ou seco e espalhe de maneira uniforme com o auxílio de um rodo. Deixe secar. Lembre-se de não aplicar em excesso”.

Cristiane diz também para evitar produtos que deixem a madeira muito úmida, principalmente se ela não for impermeabilizada, pois ela pode absorvê-los e, com isso, manchar e até mesmo apodrecer.

Fora isso, as recomendações são simples: jamais passe ceras e óleos industriais que se encontram nos supermercados. Eles podem manchar e com certeza irão alterar a cor original do piso. A manutenção pode ser feita mensalmente com um lixamento bem leve feito com esponja de aço e aplicação de verniz natural ou cera de carnaúba pura. Tire o excesso duas horas após a aplicação. Esta cera pode ser encontrada em lojas para marceneiros, mas em supermercados existe uma pasta para piso feita com carnaúba, que também pode ser usada.

10. Madeira de lei

Foto: Reprodução / Danyela Corrêa

As madeiras de lei são mais pesadas e fortes, além de rígidas e impermeáveis. Por este motivo, tem como principal vantagem maior resistência a variações de temperatura e a infestações de pragas naturais. Pode ser usada no formato de tacos, assoalhos e tábuas corridas.

As regras de limpeza não diferem da madeira de demolição, então siga os mesmos passos já explicados. Para o tratamento e durabilidade, uma vantagem considerável deste tipo de piso é a possibilidade de fazer raspagens para renovar a superfície e recuperar a sua aparência. Porém, como a madeira natural é porosa, após o lixamento, ela fica exposta e é preciso fazer o selamento com resina, cera ou verniz.

Caso opte pelo verniz, as opções são piso espelhado, semi brilho e fosco. Mas antes de escolher o verniz, converse com um especialista para saber a melhor opção para as condições da sua casa. Você também pode procurar empresas especializadas que aplicam sinteco para deixar o piso novinho em folha novamente. É ideal para o caso das tábuas e tacos velhos, soltos e descascados.

Se escolher a cera, a melhor opção é em pasta, pois a aplicação da cera líquida sobre o piso de madeira lixado pode manchar as peças. Além disso, ceras coloridas são péssimas para a manutenção de qualquer tipo de chão, pois podem gerar manchas terríveis, então opte sempre pela cera incolor. A cera natural incolor em pasta também é uma boa solução para proteger o piso da umidade.

11. Pastilhas

Foto: Reprodução / Patrícia Azoni

As pastilhas de vidro são muito usadas em paredes, mas também ficam lindas no chão. No entanto, para garantir o belo visual do revestimento é preciso manter as peças sempre limpas.

Antes de falar sobre a limpeza de rotina, é importante falar sobre a limpeza pós-obra, ou seja, a primeira limpeza do piso. Antes de começar a limpar, deixe o rejunte secar pelo menos 30 minutos. Nesta primeira lavagem, procure remover o excesso do rejunte utilizando uma esponja macia, limpa e úmida. Faça tudo com muito cuidado, pois alguns materiais abrasivos, como o cimento e a areia, podem ficar agarrados nas pastilhas. Finalize com um pano limpo e seco.

Após a aplicação da pastilha, é recomendável o uso de um aditivo para rejunte. Esse produto cria uma película protetora que ajuda a proteger contra a proliferação de fungos e mofos.

Para a limpeza de rotina, não é necessário fazer uma faxina profunda, porque as pastilhas não tem facilidade de absorção como os pisos comuns. Desta forma, o revestimento não mancha ou encarde, mas a limpeza diária ajuda a manter as pastilhas com mais brilho. A frequência da limpeza varia de acordo com o local em que o piso é utilizado, mas um bom sinal para partir para a limpeza pesada é quando a pastilha começar a desbotar ou formar bolor no rejunte.

Sobre os melhores produtos para a lavagem, a solução com água e detergente neutro é sempre a melhor opção para todos os tipos de piso. “Evite soluções à base de ácido fluorídrico e abrasivos”, alerta Juliana. Esses componentes tendem a deixar o revestimento poroso e mais suscetível a manchas, o que pode acabar prejudicando sua durabilidade. Também não utilize escovas com cerdas de aço, esponja de aço, vassoura de piaçava ou qualquer outro produto que tenha o aço na sua composição, pois podem riscar, danificar ou retirar o brilho deste tipo de piso.

Outra dica é sempre manter arejado os ambientes com piso de pastilha, principalmente banheiros e cozinhas. A circulação do ar constante ajuda a dissipar a umidade e a gordura.

12. Piso de cerâmica

Foto: Reprodução / Sheila Cruz

A cerâmica é um dos revestimentos mais fáceis de limpar. Na maioria dos casos, panos úmidos, detergente e água são suficientes para remover a sujeira. Gislane Pereira, supervisora de atendimento ao cliente da empresa Cerâmica Portinari explica como deve ser feita a limpeza certa para cada variação deste piso:

“Os pisos acetinados e polidos devem ser limpos com um uma vassoura de cerdas macias ou com o aspirador de pó. Para a finalização, basta apenas um pano úmido com detergente neutro. Já os pisos antiderrapantes devem ser limpos com uma vassoura de cerdas duras. Para a lavagem pode ser utilizado um saponáceo em pó, ou ainda o uso de lavadoras de pressão (jato)”, diz ela. Para o banheiro, local de mais umidade, também é indicado uso semanal de água sanitária, para evitar bolor e mofo. Sempre seque o piso após a limpeza.

Segundo Gislane, “o melhor produto para pisos acetinados e polidos é o detergente neutro. Para a remoção de alguma sujeira mais profunda, pode-se utilizar saponáceo cremoso”. Atenção também aos produtos que não podem ser usados. O sabão em pó não é indicado porque ele forma uma película que deixa o piso embaçado. Além dele, nunca use ácidos e nem palha de aço, pois causam manchas.

Dicas especiais:

Para limpar restos de rejuntes: em casos de pós-obra, restos de rejunte podem grudar no piso de cerâmica. Para retirá-los, use saponáceo diluído em água e esfregue com uma esponja dura. Em seguida, aplique vinagre branco diluído em água e deixe agir por alguns minutos antes de esfregar novamente.

Para retirar manchas de pintura e ferrugem: Faça uma mistura de água sanitária com saponáceo.

Para retirar manchas de sucos, chás e café: Limpe com detergente e água quente, seguidos de água oxigenada.

Para limpar gordura: Gorduras podem ser limpas com bicarbonato de sódio diluído em água.

Cuidados extras: Os pisos de cerâmica podem riscar quando móveis ou metais são arrastados sobre eles. Em muitos casos, o esmalte que reveste o piso é resistente ao atrito, mas mesmo assim pode ficar marcado. O esmalte que torna a cerâmica lisa também é muito parecido com o vidro, por isso ele pode lascar ou trincar caso seja atingido por objetos pontiagudos ou projetados com muita força. Por isso, o ideal é colocar proteção sob os pés da mobília.

13. Piso de mármore

Foto: Reprodução / Gabriela Herde

Os pisos de mármore são bonitos e elegantes, mas demandam atenção redobrada. Esse material é muito poroso e tem alta capacidade de absorção. Portanto, “não use produtos muito concentrados, corrosivos ou gordurosos como ácidos, solventes, álcool, cloro, sabão em pó, querosene, saponáceos, água sanitária e materiais abrasivos”, reforça Juliana.

Além dos produtos de limpeza, os maiores inimigos deste revestimento são óleos e gorduras, então tome muito cuidado para não derrubar alimentos e cosméticos no chão de mármore. Deve-se ter atenção também com líquidos ácidos em geral, como sucos de limão e vinagre, pois podem corroer a superfície. Atenção dobrada também com café, vinho, latas, pregos e água em abundância, pois causam manchas e podem alterar a coloração desse piso. No caso de fluidos derramados, o indicado é limpar com papel absorvente imediatamente.

As recomendações para a limpeza do mármore são basicamente as mesmas do granito. A limpeza diária deve ser feita com um esfregão ou pano de algodão umedecido em uma solução de 1 colher de sopa de detergente neutro, sabão neutro ou sabão de coco diluída em 5 litros de água. Após esse procedimento, enxágue com um pano molhado bem torcido e termine secando com um pano macio.

Para a manutenção, é indicado varrer com vassoura macia e aspirar com frequência, pois o pó se fixa facilmente em suas superfícies porosas somente com a pressão do caminhar das pessoas sobre o piso. Outra dica é encerar o piso após a higienização com cera líquida incolor. Para isso, use um pano macio e, depois, uma flanela para dar brilho.

14. Piso laminado

O piso laminado é feito a partir de madeira aglomerada, e o detalhe mais importante para a limpeza desse tipo de material é que ele não pode ser lavado. O contato com a água e também o sol direto no piso podem deformar as peças.

Segundo Renata Braga, gerente de produtos da Duratex, responsável pela marca de pisos laminados Durafloor, a limpeza deste tipo de piso é muito simples e rápida. “Para melhor resultado no dia a dia, basta usar um pano úmido bem torcido, vassoura de cerdas macias ou aspirador de pó acompanhando as texturas das réguas no sentido do comprimento (longitudinal). Ao lavar áreas úmidas como banheiros e cozinhas, proteja o piso laminado impedindo que a água entre em contato com ele. Nunca lave o piso laminado”, explica.

Para remover manchas, Renata orienta que há indicações específicas para cada uso: “para graxa de sapato, suco de uva, vinho, café, refrigerante, batom, mercúrio, esmalte de unha e tinta esmalte é recomendada a limpeza com a utilização de detergente e álcool. O álcool também é eficaz para tirar as manchas de caneta esferográfica, massa para modelar e pincel atômico. Se o seu problema for causado por respingos de tinta látex, a limpeza com água resolve. Já para remover cola, o ideal é usar removedor de esmalte. Em caso de outros resíduos resistentes, também pode ser utilizado um pano limpo levemente umedecido com removedor de esmalte. Esta solução simples resolve a maioria dos casos”.

Outra recomendação importante é em relação aos produtos usados na limpeza. Para a limpeza diária, basta utilizar detergente neutro diluído em água. Porém, para uma limpeza especializada, a Renata sugere: “indicamos o limpador Destac® Pisos Laminados, da Reckitt Benckiser, que deve ser aplicado diretamente em um pano seco e passado sempre no sentido da textura do piso (comprimento das réguas)”. Veja esse produto e outras sugestões mais abaixo.

E atenção, nunca passe cera no piso laminado. “Com o tempo, ela tende a manchar o Durafloor, pois a camada que reveste a superfície do piso é impermeável (não possui porosidade). Portanto, se for aplicado qualquer tipo de cera na superfície do produto, ela não será absorvida, além de deixá-lo extremamente escorregadio. Isso vale tanto para a cera líquida como para a pastosa”, explica a especialista.

Caso você já tenha aplicado a cera sem saber, a recomendação é a utilização de um removedor. “Poderá ser utilizado o removedor que o próprio fabricante de cera indicar, removedor K&M ou o removedor de cera Inglesa. Porém, não é garantido que ocorrerá a total remoção da cera e que o piso voltará às mesmas características anteriores”, alerta Renata.

Além disso, nunca utilize material cortante ou abrasivo, enceradeiras elétricas, esponja de aço, lixa ou produtos à base de silicone, pois eles criam uma camada gordurosa que prejudica o piso e dificulta as próximas limpezas. Para manter a limpeza, a durabilidade e o brilho deste piso, fique atento a essas dicas:

– Recomenda-se a utilização de capacho ou o equivalente em entradas diretas da rua para reter partículas de pedra e sujeira.

– Não arraste os móveis durante a limpeza. Se precisar mudar algo de lugar, proteja os pés e bases com feltro ou borracha para evitar o aparecimento de riscos e manchas. Caso seja necessário movimentar móveis pesados, forre-os com panos, pedaços de forrações ou carpetes para evitar o atrito.

– Cuidado com as cadeiras com rodinhas, elas riscam a película de resina da madeira natural e a superfície dos laminados. Em lojas especializadas, é possível encontrar protetores para elas. Nos outros móveis com rodinhas, a recomendação é substituir as de nylon por poliuretano.

– Evite pisar com sapatos de salto fino com fixador de metal.

– Não permita que o piso fique exposto à chuva através de janelas, portas ou goteiras. Caso isso ocorra, providencie imediatamente a secagem. Também proteja o piso dos raios solares utilizando persianas ou cortinas.

– Vai fazer alguma obra em casa? Cubra o seu piso laminado com papelão para não ocasionar riscos.

15. Piso vinílico

Foto: Reprodução / D2N Arquitetura + Interiores

O piso vinílico se assemelha muito ao laminado e à madeira, é muito resistente e, além disso, é produzido com materiais recicláveis. Portanto, assim como os dois pisos citados acima, a limpeza também deve evitar água e deve ser feita apenas com um pano úmido.

A gerente da Tarkett, empresa especializada em pisos vinílicos, Bianca Tognollo, orienta a limpeza para as duas vertentes deste tipo de piso: o piso vinílico colado e o piso vinílico click, que são aqueles que são aplicados por um sistema de encaixe.

“A limpeza do piso vinílico colado deverá ser efetuada apenas sete dias após a instalação, pois é o período da cura do adesivo. Remova a sujeira do piso (areia ou poeira) com vassoura de pelo ou mop pó e aplique em todo o piso uma solução de água com detergente neutro, com mop água ou máquina de limpeza (disco vermelho ou verde). Enxágue utilizando rodo e pano limpo ou mop água. Utilize o mínimo possível de água e permita a secagem total do piso antes da liberação para uso”, explica ela.

No caso do piso vinílico click, Bianca diz que a limpeza pode ser feita imediatamente após a instalação. Use apenas um pano úmido e detergente neutro e, para enxaguar, passe um pano úmido limpo. Além disso, para o dois casos, se o ambiente ainda estiver em obra, lembre-se de proteger o piso com plástico bolha ou lona.

Ela alerta também sobre os produtos de limpeza que devem ser evitados para esse tipo de piso: “produtos que danifiquem a superfície do piso, como escovas e esponjas abrasivas, produtos químicos como água sanitária, removedores, aguarrás, etc. Muitos pisos vinílicos não demandam o uso de cera, mas se você quiser deixar o piso mais brilhante, recomendamos o uso de cera acrílica, que promove o brilho e não precisa de enceradeira”.

16. Porcelanato

Foto: Reprodução / Filipe Ramos

O porcelanato necessita de alguns cuidados especiais na hora da limpeza para garantir que a sua beleza dure por mais tempo. Após a obra, é extremamente importante realizar a primeira limpeza, é ela que dará brilho ao revestimento e evitará o aparecimento de manchas superficiais nos primeiros anos. Além disso, quando bem executada, também irá facilitar a realização da limpeza diária.

Com o auxílio de pano macio e seco, comece removendo a bruma, que é a película superficial formada sobre o revestimento. A limpeza e o acabamento deverão ser realizados no máximo 30 minutos após a aplicação, utilizando uma esponja umedecida em água limpa. Depois, faça uma aplicação de um detergente de limpeza pós-obra, que pode ser encontrado nas principais lojas de materiais de construção. Ele removerá as manchas que podem ter aparecido e deixará o piso com aparência perfeita. Este produto também pode ser utilizado em casos extremos, como manchas difíceis de remover.

Para a limpeza diária, varra o piso com uma vassoura de cerdas macias e, depois, passe um pano de chão molhado. Gislane Pereira, da Cerâmica Portinari, também dá orientações para o porcelanato: “recomendamos sempre detergente neutro e saponáceo. Para polidos, pode-se passar um pano com álcool. O brilho do porcelanato não se altera com o passar do tempo. Com a manutenção correta, ele ficará com a mesma aparência de novo por anos”. Depois da lavagem, seque com um pano limpo.

Para mais eficácia, Gislaine indica a técnica dos dois baldes. Aprenda o passo a passo:

  1. No primeiro balde, coloque água limpa e detergente neutro.
  2. No segundo balde, coloque somente água limpa.
  3. Remova os resíduos soltos com uma vassoura ou aspirador de pó.
  4. Pegue um pano limpo e mergulhe-o no primeiro balde, depois aplique no revestimento e deixe agir de três a cinco minutos.
  5. Enxágue o pano no segundo balde e torça bem.
  6. Passe o pano no revestimento para retirar o excesso de detergente.
  7. Para finalizar, enxugue com pano limpo.

Caso ainda permaneça sujeira impregnada, deixe a solução de detergente e água agir sobre o piso por mais alguns minutos e depois esfregue com escova ou vassoura de cerdas macias. Você pode utilizar também o vinagre, sempre diluído em água, já que ele não mancha, não diminui o brilho e é inofensivo para o porcelanato.

Para limpar o porcelanato de maneira pesada, “use um saponáceo cremoso diluído em água. A diluição deve ser uma parte do produto para 9 partes de água. A não diluição dos produtos, bem como a sua aplicação direta sobre o piso, pode ocasionar no surgimento de manchas permanentes. Após a limpeza, enxágue bem somente com água limpa e seque com um pano limpo”, explica a personal organizer Juliana Faria.

Juliana fala também sobre os produtos que prejudicam esse tipo de piso: “não utilize ceras ou impermeabilizantes, nem produtos que contenham flúor e seus derivados, principalmente o ácido fluorídrico. Nunca utilize também sabão em pó, escovas, ácidos, água sanitária ou soda cáustica sobre as peças. Palha de aço ou produtos similares não são indicados, já que podem riscar, danificar e retirar o brilho do porcelanato ou do esmalte do revestimento”.

A utilização de produtos não indicados pode ocasionar um ataque químico, deixando a superfície porosa e favorecendo o surgimento de manchas, riscos e opacidade no piso. Gislaine reforça essa preocupação: “não podem ser usados produtos que contenham ácido em sua composição ou o desenho de uma caveira no rótulo. Estes produtos atacam quimicamente o porcelanato, ocasionando manchas irreversíveis ao longo do tempo”.

Já Cristiane sugere produtos da Casa KM específicos para este tipo de piso e que proporcionam uma limpeza perfumada e com brilho: “use Brilho Fácil Cuidados Especiais, limpador para pisos porcelanatos e cerâmicas. Aplique o produto puro sobre um pano limpo e seco, não precisa diluir. Espalhe de maneira uniforme sobre o piso, com o auxílio de um rodo e deixe secar. Não aplique em excesso”. Mas atenção, a especialista orienta não misturar os produtos com outros limpadores e não aplicá-los diretamente sobre o piso. Siga sempre as recomendações do fabricante do piso.

Dicas especiais:

Para remover manchas de tinta, esmalte, canetas e outros tipos de pigmentos: durante a realização da obra ou da reforma da casa, o porcelanato pode ficar com respingos de tinta. Para retirá-las, o indicado é a utilização de um solvente orgânico. Não deixe o produto agindo por muito tempo sobre o piso.

Para deixar o ambiente mais cheiroso: o detergente neutro diluído em água não deixa a casa com aquele cheirinho de limpeza. Por isso, depois que você limpar o piso com essa solução, use um spray perfumado para ambientes. Só tome cuidado para não aplicar o spray diretamente sobre o piso.

17. Porcelanato líquido

Foto: Reprodução / Roberto Migotto

Porcelanato líquido é o nome dado aos pisos monolíticos, ou seja, com aparência homogênea e sem rejuntes, feitos com resina e com aspecto final brilhante. A primeira limpeza deve ser feita somente depois de 24 horas após a instalação do piso.

Já a limpeza de rotina também segue a regrinha básica de vassoura de pelos macios para a remoção de sujeiras soltas e poeiras, e depois um pano úmido com a solução de detergente neutro diluído em água.

Para maior durabilidade, evite arrastar móveis e objetos pesados sobre o piso, e sempre proteja os pés com adesivos de feltro. Se o piso trincar, isole a parte danificada, recolha o material lascado e solicite a visita de empresas especializadas. Além disso, o desgaste natural do piso pode exigir uma nova aplicação na área. É muito importante fazer revisões dentro da periodicidade recomendada pelo fornecedor.

18. Resina epóxi

Foto: Reprodução / Nacional Epoxi

A resina epóxi é um líquido aplicado sobre o piso e espalhado com uma espécie de rodo, formando uma camada que se nivela automaticamente na superfície. Este piso também é conhecido como piso autonivelante. Ele possui maior resistência química, é impermeável e não absorve sujeiras. Porém, não é muito resistente a riscos, choques térmicos e dilatações, e corre um risco maior de trincar. Sendo assim, evite arrastar e apoiar materiais muito pesados sobre o piso, pois podem causar trincas.

A higienização é bem parecida com a do porcelanato líquido e, assim como ele, a primeira limpeza deve ser feita em 24h após a instalação. Na limpeza diária, use uma vassoura com cerdas macias ou um esfregão de pó azul, e utilize preferencialmente detergentes neutros.

Para limpeza pesada, você pode esfregar o chão com um esfregão de espuma de microfibra, água quente e amônia transparente. São indicadas quatro a cinco gotas de amônia por galão de água de 15 litros. É importante varrer antes de esfregar o chão, para evitar danos ao epóxi, pois detritos mais duros podem riscar o piso.

Se você não conseguir remover a sujeira com água quente, use desengordurantes neutros. Não utilize produtos químicos de limpeza que sejam abrasivos, ácidos (incluem cítricos e o vinagre) ou alcalinos, como sapólio e água sanitária. Também não use produtos à base de sabão, pois deixam resíduos no piso que prejudicam o brilho e também torna-o mais escorregadio.

No caso de derramamento de sucos, refrigerantes e alimentos líquidos em geral ou gotas de óleos de veículos, limpe com um papel toalha ou outro pano macio. Se preferir, umedeça o pano para facilitar a limpeza. Assim, você evitará danos no seu piso.

19. Silestone

Foto: Reprodução / Pedraria Ivoti

Esse tipo de pedra é duradoura e muito utilizada como tampo de mesas e bancadas de cozinha, mas também pode ser usada em pisos. Se você tem silestone no piso da sua casa, repita o procedimento clássico de limpeza recomendado por Juliana: retire a sujeira com uma vassoura de pelos macios ou aspirador de pó. Em seguida, faça uma solução de água com detergente neutro. Para cada 5 litros de água coloque 1 colher de sopa de detergente neutro. Passe no piso com um pano macio ou com o mop.

Outra alternativa é umedecer um pano com água quente e aplicar um limpador de vidros no piso. Espalhe bem com um pano e depois passe outro pano umedecido somente com água e seque.

Dicas especiais:

– Não utilize hidrofugantes ou selantes para realçar o brilho. Esses produtos proporcionam um brilho artificial e temporário.

– Não utilize decapantes, soda cáustica nem produtos com PH superior a 10.

– Se optar por usar água sanitária, enxágue com água em abundância. Nunca deixe esse produto em contato permanente com o piso.

20. Vidro

Foto: Reprodução / Paulinho Peres

O cuidado com o piso de vidro deve ser o mesmo de outras superfícies com esse material, como janelas e portas. Faça o mesmo procedimento dos outros pisos para a limpeza leve. Retire a sujeira com uma vassoura de pelos macios e depois faça uma solução de água com detergente neutro. Passe no piso com um pano macio ou com o mop.

Para o combate de manchas que deixam o vidro embaçado e sem brilho, faça uma mistura de detergente e vinagre branco na proporção 1:1. Mergulhe uma esponja na mistura e depois passe no piso sem pressionar, para formar bastante espuma. Deixe por quatro minutos, enxágue bem e seque com pano de microfibra, pois toalhas de algodão deixam fiapos espalhados. Para evitar ainda mais manchas, procure passar a esponja e os panos em uma única direção. Para uma melhor manutenção, você pode realizar esse procedimento mensalmente. Evite usar produtos com amoníaco, cloro ou água sanitária.

Outra opção de receita caseira é misturar 300ml de álcool 70 com 300ml de água filtrada e uma colher de sopa de vinagre branco. Espalhe a solução como orientado anteriormente e seque bem ao final do processo. Em casos de mancha de gordura, água quente com sabão neutro é a fórmula mais eficiente.

Apesar deste piso usar vidros bem reforçados, tenha muito cuidado ao apoiar móveis e objetos pesados sobre ele, pois corre o risco de trincar ou até mesmo de rachar a superfície. Não arraste móveis e proteja as bases com feltro.

Problemas clássicos de limpeza

Agora que você já aprendeu a limpar corretamente cada tipo de piso, é importante ficar atento a outros probleminhas que podem gerar dúvidas na hora da faxina. São eles: o piso branco encardido e a limpeza de rejuntes. Descubra o que fazer em cada caso:

Piso branco encardido

Foto: iStock

Ter em casa aquele piso branquinho, bem limpinho e brilhoso é tudo de bom! Sem contar a sensação de paz que ele traz para o ambiente. Mas como nem tudo na vida são flores, esse lindo piso pode acabar ficando encardido ao longo do tempo e perder todo o seu charme. Mas não se assuste, esse problema tem solução.

Juliana Faria, personal oganizer,  recomenda como proceder: “tente limpá-lo deixando de molho com água e detergente neutro. Caso não saia a sujeira, recorra a um produto específico para o seu tipo de piso. Dependendo do estado da sujeira, o melhor é recorrer a uma empresa especializada em limpezas de pisos. Lembre-se que depois que o piso ficar danificado após o uso do produto errado, não tem mais volta”.

Se você ainda quiser tentar mais uma receita caseira antes de partir para os produtos químicos, Gislaine Pereira, da Cerâmica Portinari, sugere: “pode-se usar água sanitária sempre diluída na proporção de 3 por 1 – 3 partes de água para uma de água sanitária. Deixe agir por 15 minutos e enxágue com água limpa”.

Partindo para o limpa pisos: no mercado há uma grande variedade desses produtos que podem ajudar a tirar o encardido do chão. Mas lembre-se sempre de ler as embalagens com atenção para descobrir qual é o mais adequado e siga as instruções de uso. Neste caso, “utilize o produto puro, pois os ativos estarão mais concentrados, apresentando um maior poder de limpeza”, explica Cristiane Ayres, gerente da marca Casa KM.

Mas atenção, para evitar a formação de manchas difíceis de remover, verifique se o agente de limpeza que escolheu não é concentrado em excesso e evite usar produtos à base de álcool.

Rejunte branco

Foto: iStock

Os rejuntes também merecem atenção especial. Eles são porosos e, por isso, inevitavelmente, a sujeira vai acumular. Se não passarem por uma limpeza frequente, essa sujeira pode se tornar muito concentrada e impregnada, gerando muita dor de cabeça na hora de limpar. O melhor a fazer é não deixar encardir, esfregando toda semana ou sempre que notar que o rejunte está começando a escurecer.

“O vinagre de álcool é muito bom para limpar rejuntes brancos. Antes de aplicar em todo o piso, faça um teste numa região mais escondida para ver se o vinagre não cria nenhum tipo de mancha. Coloque uma boa quantidade de vinagre de álcool puro sobre o rejunte, deixe agir por 30 minutos e depois esfregue com uma escovinha. Não deixe secar. Lave o piso ou passe um pano úmido com água e detergente neutro. No mercado também existem produtos específicos para limpar rejunte. Leia bem o rótulo para se certificar se o uso é para o seu tipo de piso”, explica Juliana.

Você também pode utilizar saponáceo cremoso na limpeza do rejunte, mas escolha sempre a versão líquida, que é bem menos abrasiva do que a em pó. Para isso, aplique o produto puro sobre o rejunte, deixe agir por dez minutos e, depois, limpe com uma esponja, usando o lado amarelo, que é mais macio. Para ter certeza que o saponáceo não irá manchar o piso, dilua o produto na água e faça o teste em apenas uma parte da peça. “Também pode-se usar a água sanitária diluída, deixar agir por 15 minutos e enxaguar”, lembra Gislane.

Sugestões de produtos específicos para a limpeza de pisos

Separamos uma lista de produtos de limpeza específico para pisos para te auxiliar nessa limpeza na sua casa. Confira!

Produto 1: Limpa Rejunte 500ml Proclean. Compre na Americanas.

Produto 2: Removedor Tira Grude 40ml Tapmatic. Compre na Telhanorte.

Produto 3: Cera Líquida Madeira Max Especial Ingleza 750ml. Compre na Net Suprimentos.

Produto 4: Detergente de Limpeza Pós-obra 1 litro Cleanmax Portokoll. Compre no Extra.

Produto 5: Cera Líquida Ardósia 750ml Brilho Fácil. Compre na Cepel.

Produto 6: Limpe Certo Limpeza Profunda Porcelanato e Piso Encardido 1 Litro Performance Eco. Compre na R3PShop.

Produto 7: Kit Aplicador Vassoura e Rodo Hiperclean. Compre no Walmart.

Produto 8: Bona Care Limpador De Piso De Madeira 1 Litro Bona. Compre na Americanas.

Produto 9: Veja concentrado para limpeza pesada diluível 1 litro Reckitt. Compre na Kalunga.

Produto 10: Limpador Mr Musculo Limpeza Pesada Pisos Lavanda 500ml. Compre na Casa Fiesta.

Produto 11: Limpa Mármore e Granito Proclean 1 litro. Compre no Submarino.

Produto 12: Limpa piso uso direto piso laminado 750ml Destac Reckitt. Compre na Kalunga.

Gostou das nossas dicas? Esperamos que os dias de limpeza dos pisos não sejam mais tão difíceis. Saber a maneira certa de limpar cada material é essencial para manter o chão limpo sem agredir suas propriedades. Assim, sua casa ficará sempre limpa e você também não vai precisar gastar dinheiro com reformas e restaurações frequentes.

PARA VOCÊ

COMENTÁRIOS